Comida estragada intoxica mais de 100 deslocados na Síria

Cairo, 13 abr (EFE).- Pelo menos 130 pessoas foram atendidas, entre elas menores de idade, por consumir comida estragada que foi distribuída entre deslocados na área de Ghouta Oriental, a principal fortificação opositora dos arredores de Damasco, informou nesta quinta-feira o Observatório Sírio de Direitos Humanos.

A ONG explicou que nas últimas 24 horas foram distribuídas 1.000 refeições, com carne e arroz, entre deslocados originários da área de El March, em Ghouta Oriental, que residem em outras partes desta região, como Saqba, Hamuriya, Haza, Kafr Batna e Ain Tarma.

A maioria dos afetados sofrem com vômitos, diarreia e febre alta, disseram fontes médicas citadas pelo Observatório, que destacou que a carne das refeições tinha um sabor e um cheiro estranhos.

O Observatório indicou que, por enquanto, se desconhece quem distribuiu essas refeições entre os deslocados, e que os residentes de Ghouta Oriental os estão procurando.

No último verão foram registrados 750 casos de intoxicação na mesma região por consumir alimentos em mau estado que tinha sido oferecidos por uma ONG local para o "iftar", a refeição que interrompe o jejum muçulmano do Ramadã. EFE