Líbia inicia campanha de vacinação anticovid

·1 minuto de leitura
O primeiro-ministro líbio, Abdelhamid Dbeibah, recebe a vacina anticovid

A Líbia iniciou sua campanha de vacinação contra a covid-19 no sábado, começando com o primeiro-ministro Abdelhamid Dbeibah, à medida que os casos de coronavírus aumentam no país.

O anúncio foi feito pelo presidente do Centro Nacional de Controle de Doenças (CDC), Badreddine al Najjar, em entrevista coletiva.

Abdelhamid Dbeibah, líder do Governo de Unidade Nacional (GNU), foi o primeiro a receber a vacina, seguido pelo ministro da Saúde, Ali al Zenati, confirmou um jornalista da AFP.

Pouco depois de ganhar a confiança do parlamento, em 10 de março, o primeiro-ministro havia declarado que uma das prioridades de seu governo era o acesso da população à vacina.

A Líbia registra atualmente cerca de 1.000 casos por dia - um aumento em relação aos últimos meses - e o acesso a testes de PCR para o vírus é relativamente difícil para a população.

O último número oficial é de 166.888 casos, incluindo 2.807 mortes, em um país de quase sete milhões de habitantes, onde a infraestrutura de saúde foi fragilizada pelo conflito da última década.

Já chegaram ao país dois carregamentos com 100.000 doses cada da vacina russa Sputnik V, além de 57.600 doses da vacina AstraZeneca por meio da aliança Covax.

O UNICEF entregou na sexta-feira quatro câmaras frigoríficas de 20m3 para serem instaladas em Trípoli, Benghazi, Sebha e Misrata e armazenar as vacinas destinadas aos 426 centros de vacinação do país.

rb/vl/mab/eg/bn