Líder da Coreia do Norte afirma que responderá a ameaças com armas nucleares

O líder da Coreia do Norte, Kim Jong Un, afirmou que responderá com armas nucleares às constantes ameaças, informou, neste sábado (19, noite de sexta em Brasília), a agência estatal KCNA, um dia depois de o exército norte-coreano disparar um míssil intercontinental.

Kim garantiu que a Coreia do Norte "responderá aos mísseis nucleares com armas nucleares e a um confronto total com um confronto generalizado", disse a KCNA, acrescentando que o líder norte-coreano supervisionou pessoalmente o lançamento do míssil na sexta-feira.

Depois de Kim afirmar em setembro que seu país era um Estado nuclear "de forma irreversível", os Estados Unidos reforçaram a cooperação militar com Japão e Coreia do Sul e buscaram incrementar a defesa na região.

Pyongyang lançou na sexta-feira (noite de quinta em Brasília) um míssil balístico intercontinental (ICBM, na sigla em inglês) que caiu em águas da Zona Econômica Exclusiva (ZEE) do Japão.

Segundo a agência norte-coreana, o lançamento de sexta foi de um "novo tipo de ICBM" do Hwasong-17 e "este teste demonstra claramente a fiabilidade do novo sistema de armas".

A KCNA também informou que Kim Jong Un supervisionou pessoalmente o lançamento do míssil, acompanhado por sua esposa e sua filha, uma menção bastante inusitada de um filho do líder norte-coreano.

O exército norte-coreano efetuou na quinta-feira o disparo de um míssil de curto alcance e, há algumas semanas, realizou uma série de lançamentos, incluindo um ICBM.

Washington respondeu aos testes norte-coreanos com uma ampliação de seus exercícios militares com a Coreia do Sul, incluindo o envio de um avião-bombardeiro estratégico.

md/bfm/eb/mas/am/rpr/am