Líder dos Proud Boys é indiciado por conspiração sediciosa nos EUA

Ataque ao Capitólio de Washington em janeiro de 2021

Por Andy Sullivan

WASHINGTON (Reuters) - Enrique Tarrio, ex-líder do grupo de direita Proud Boys, e quatro de seus principais integrantes enfrentaram novas acusações federais de conspiração sediciosa nesta segunda-feira por envolvimento no ataque de 6 de janeiro de 2021 contra o Capitólio dos EUA, de acordo com um documento judicial.

Os promotores federais que investigam o ataque apresentaram novas acusações contra Tarrio, Dominic Pezzola, Ethan Nordean, Joe Biggs e Zachary Rehl, segundo o documento. Todos os cinco réus já se declararam inocentes de outras acusações criminais relacionadas ao ataque.

Segundo a nova acusação, os cinco homens conspiraram para impedir o Congresso de certificar a vitória presidencial do democrata Joe Biden em 2020 sobre o republicano Donald Trump. Trump fez falsas alegações de que perdeu devido a uma fraude eleitoral generalizada.

Os promotores dizem que Tarrio desempenhou um papel de liderança mesmo não estando em Washington naquele dia, já tendo sido preso por outras acusações.

Três membros de outro grupo de direita, os Oath Keepers, já se declararam culpados de acusações de conspiração sediciosa. Vários outros integrantes desse grupo, incluindo o líder Stewart Rhodes, se declararam inocentes e devem ser julgados ainda este ano.

Cerca de 800 pessoas foram acusadas de participar do motim no Capitólio, com cerca de 250 confissões de culpa até agora.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos