Líder de favelas pede doações contra a fome em visita à ONU

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - Presidente do G10 Favelas, Gilson Rodrigues fez um apelo aos brasileiros para que ajudem no combate à fome sentado na cadeira reservada à presidência do Conselho de Segurança da ONU, órgão mais importante da instituição, em Nova York.

"Trinta e três milhões de pessoas passam fome no Brasil. Nos ajude", diz ele. O Brasil exerce durante este mês a presidência rotativa do Conselho. A visita foi feita ao lado do representante do país na ONU, João Genésio de Almeida Filho.

Rodrigues foi a NY para a Semana das Favelas do Brasil, onde participa de uma série de eventos com o objetivo de mostrar as possibilidades econômicas destas comunidades.

Responsável por um grupo que reúne algumas das principais favelas brasileiras, como Paraisópolis (SP), Rocinha (RJ), Baixada dos Jurunas (PA) e Casa Amarela (PE), ele também está divulgando uma campanha pela qual um QR Code é tatuado nas costas da mão. Quando o código é escaneado por um celular, é possível acessar uma página de doações para a campanha (www.g10favelas.com.br).

"Apertos de mão são importantes, mas o QR Code mostra que é possível fazer mais", diz ele.

Segundo Rodrigues, a chave para melhorar as condições de vida nas favelas é mostrar seu potencial econômico. "As favelas movimentam milhões de reais. Não basta ficar no que é pontual, a doação de cestas, é preciso investir no empreendedorismo da população. Só assim se combate a fome e o desemprego", afirma.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos