Líder do governo diz que ensino domiciliar é a primeira pauta da agenda conservadora de Bolsonaro

Guilherme Caetano, Gustavo Schmitt e Marlen Couto
·1 minuto de leitura

SÃO PAULO E RIO – Entre as pautas direcionadas ao eleitorado conservador que integram a lista enviada pelo presidente Jair Bolsonaro ao Congresso, o projeto de lei que oferece a possibilidade de ensino domiciliar deve receber prioridade. Segundo o líder do governo na Câmara, Ricardo Barros (PP-PR), trata-se da proposição que, em sua avaliação, encontra-se mais avançada em questão de discussão.

Apresentado pelo deputado Lincoln Portela (PL-MG) em 2012, o projeto de lei aguarda constituição de Comissão Temporária pela Mesa desde dezembro de 2019.

— Ainda não estudei a lista toda, mas vamos começar pelo homeschooling (ensino domiciliar). Consultando os líderes, entendo que é a que está mais madura — declarou Barros.