Líder do governo na Câmara promete mais votos em segundo turno da PEC dos Precatórios do que no primeiro

·2 min de leitura

BRASÍLIA — O líder do governo na Câmara, Ricardo Barros (PP-PR), afirmou nesta terça-feira que o governo federal espera aprovar a PEC dos Precatórios em segundo turno com uma margem maior do que na primeira votação.

A estimativa de Barros foi apresentada ao presidente Jair Bolsonaro, em uma reunião no Palácio do Planalto. A votação em segundo turno está prevista para ocorrer nesta terça-feira. Na semana passada, o texto foi aprovado em primeiro turno com 312 votos favoráveis, apenas quatro a mais do que o necessário.

O projeto é prioritário para o governo federal por viabilizar o Auxílio Brasil de R$ 400 em 2022, ano eleitoral.

— Reportei a ele as condições da votação. Temos parlamentares chegando ainda em Brasília, agora, nesse horário, então devemos iniciar a votação em seguida. Temos uma boa perspectiva de aprovar a PEC com mais votos do que foi no primeiro turno. Esse é o prognóstico dos líderes da base do governo — disse Barros, após a reunião.

Texto terá de seguir para o Senado

O líder do governo reconheceu que alguns partidos, como o PDT e o PSB, devem reverter votos que haviam sido favoráveis à PEC no primeiro turno, mas afirmou que isso será compensado pelos votos de muitos deputados que estavam ausentes na primeira votação

— Vai (haver mudança de votos), mas nós temos vários parlamentares que estavam ausentes a última votação e que estarão presentes agora. Nós temos, na nossa matemática, mais votos a favor neste segundo turno do que tivemos no primeiro turno.

Após a aprovação na Câmara, a PEC ainda terá que passar pelo Senado. O ministro da Cidadania, João Roma, havia estimado que o texto precisaria estar aprovado nas duas Casas até o dia 15. Nesta terça, Barros afirmou que não poderia falar sobre a tramitação da proposta no Senado.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos