Líder do governo também ignora liminar e defende Renan como relator da CPI

Julia Lindner e Paulo Cappelli
·1 minuto de leitura

BRASÍLIA — Apesar da resistência de bolsonaristas, o líder do governo no Senado, Fernando Bezerra (MDB-PE), defendeu nesta terça-feira que o senador Renan Calheiros (MDB-AL) assuma a relatoria da CPI da Covid. Ele também ignorou a liminar da Justiça Federal que impede Renan de ocupar uma das funções mais estratégicas do colegiado, dizendo que os parlamentares vão proceder a eleição para presidente e vice normalmente, com a designação do relator na sequência.

— Existem iniciativas de parlamentar que temos que respeitar, inclusive com ações na justiça. Mas o meu ponto de vista, deixei claro para o presidente e para os ministros (Luiz Eduardo) Ramos e Flávia (Arruda), que entendo que devemos respeitar o critério da proporcionalidade que ocorre no Senado Federal — disse Bezerra ao ser questionado se o governo se opõe ao nome de Renan.

Bezerra também disse que “já está determinada a instalação da CPI” é que o processo de eleição vai continuar. Ele destacou que há acordo para a eleição de Omar Aziz (PSD-AM) como presidente:

— Vamos proceder as eleições do presidente que irá na sequência designar o relator. E me parece que existe um entendimento já encaminhado entre as principais bancadas, formadas pelo MDB e pelo PSD, que devem assegurar a eleição do senador Omar Aziz (PSD-AM).

Bezerra disse, ainda, que o governo está pronto para prestar todas as informações ao colegiado, com foco em mostrar que foram disponibilizados recursos para todos os estados da federação durante a pandemia.