Líder indígena diz que tema da redação do Enem 'prepara terreno' para criação do ministério dos Povos Originários

Coordenador executivo da Articulação dos Povos Indígenas do Brasil (APIB), o advogado Dinamam Tuxá afirmou neste domingo que o tema da redação do Enem — "Desafios para a valorização de comunidades e povos tradicionais no Brasil" — "prepara o terreno" para a reflexão sobre a criação do ministério dos Povos Originários - promessa de campanha do presidente eleito Luiz Inácio Lula da Silva.

Neste domingo, estudantes de todo país fazem o primeiro dia de provas do Enem 2022 com questões de Ciências Humanas, Linguagens e a redação. Neste ano, o Enem registrou 3,3 milhões de inscrições confirmadas. O Enem serve como via de acesso ao Sistema de Seleção Unificada (Sisu), ao Prouni e ao Fies.

— O tema faz um apontamento para o futuro e traz a discussão da política indigenista em conexão com a pauta ambiental. Os estudantes vão refletir sobre a agenda anti-indígena que foi feita de 2018 para cá no governo Bolsonaro. E também é uma provocação para o novo governo — disse Dinamam, que integra o grupo de trabalho da APIB que está conversando com a equipe de transição do governo Lula para a constituição da nova pasta.

O advogado tem participado das reuniões da COP-27, no Egito, para onde Lula deve ir nesta semana.

— A sinalização que recebemos é que sai nesta semana o nome dos indígenas que farão parte da equipe de transição de governo — disse ele.

Até o momento, 90 nomes foram anunciados para a transição. Levantamento do GLOBO, mostrou que a lista até o momento é majoritariamente composta por homens brancos.