Líder muçulmano de Damasco morre em atentado à bomba

·1 minuto de leitura
Foto divulgada pela agência síria Sana em 20 de maio de 2019 do mufti de Damasco, Adnan al-Afiuni (E), e do presidente sírio, Bashar al-Assad, em Damasco
Foto divulgada pela agência síria Sana em 20 de maio de 2019 do mufti de Damasco, Adnan al-Afiuni (E), e do presidente sírio, Bashar al-Assad, em Damasco

O líder muçulmano da província de Damasco, Adnan al-Afiuni, morreu nesta quinta-feira (22) em um atentado à bomba, reportou a agência de notícias Sana, que o qualificou como um ataque "terrorista". 

Segundo a Sana, a bomba foi colocada no carro do mufti, que estava na localidade de Qudsaya, no noroeste da província, segundo a mesma fonte. 

Considerado próximo do presidente Bashar al Assad, o líder religioso tinha, segundo o Observatório Sírio de Direitos Humanos (OSDH), desempenhado um papel de destaque nos acordos entre o governo e os rebeldes para pôr fim aos combates na província de Damasco nos últimos anos. 

Iniciada em março de 2011, após a repressão aos protestos a favor da democracia, a guerra na Síria deixou mais de 380.000 mortos e milhões de deslocados. 

Com o tempo, o conflito se tornou mais complexo devido à intervenção de várias potências estrangeiras, assim como de grupos jihadistas. 

mam/ah/tp/vg/mis/eg/mvv