Líder neonazista americano é condenado por ameaças

·1 min de leitura
(2018) Ativistas neonazistas americanos durante manifestação na Geórgia (AFP/SPENCER PLATT) (SPENCER PLATT)

Um ex-líder do grupo neonazista americano "Atomwaffen Division" foi condenado nesta terça-feira a sete anos de prisão por ter participado de uma campanha de intimidação contra jornalistas e ativistas antirracismo.

Kaleb Cole, 25, juntamente com outros três membros do grupo, produziram cartazes adornados com símbolos nazistas e coquetéis molotov e os enviaram em janeiro de 2020 a residências de vários jornalistas, muitas vezes judeus ou procedentes de minorias, e ativistas, de acordo com o Ministério da Justiça dos Estados Unidos.

Durante seu julgamento, em um tribunal federal de Seattle, as vítimas relataram o impacto dessa campanha de intimidação: algumas se mudaram, outras instalaram alarmes, compraram uma arma ou abandonaram o jornalismo, segundo o ministério.

Os três cúmplices de Cole preferiram se declarar culpados e fechar acordos com os promotores, o que lhes permitiu enfrentar penas menos severas. Um quinto membro do Atomwaffen Division , John Denton, foi condenado em maio a três anos e cinco meses de prisão, depois de se declarar culpado de "ameaças" e "insultos".

Denton participou de uma campanha em massa de "swatting", que consiste em fazer ligações telefônicas para que unidades de intervenção de emergência da polícia americana (Swat) sejam obrigadas a se deslocar até determinados locais.

Denton fez as ligações entre outubro de 2018 e fevereiro de 2019, concentrando-se em 134 locais, incluindo uma igreja afro-americana, um centro islâmico e residências de jornalistas.

chp/led/erl/ag/lb

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos