Itália expulsará dois diplomatas russos por envenenamento de ex-espião russo

Roma, 26 mar (EFE).- A Itália anunciou nesta segunda-feira a expulsão de dois diplomatas russos em resposta à tentativa de assassinato em Londres do ex-espião Sergei Skripal com um agente químico, informou o Ministério italiano de Relações Exteriores em comunicado.

A medida foi adotada por causa do Conselho Europeu dos dias 22 e 23 de março, como "um sinal de solidariedade" com o Reino Unido e de "forma coordenada" com os parceiros europeus e a Otan.

O Ministério de Relações Exteriores italiano notificou na segunda-feira sua decisão de expulsar de território italiano no prazo de uma semana dois funcionários credenciados na lista diplomática na embaixada da Federação da Rússia em Roma.

A medida foi tomada como consequência do ataque ao ex-espião e à sua filha Yulia com o agente nervoso "Novichok" em 4 de março em Salisbury (sul da Inglaterra), algo que acabou por suscitar uma grave crise política e diplomática entre Londres e Moscou.

O presidente do Conselho Europeu, Donald Tusk, já havia antecipado na sexta-feira que esperava que antes de segunda-feira alguns países da União Europeia adotassem ações adicionais frente à Rússia em resposta ao fato, rejeitado não obstante pela Rússia. EFE