Líder opositor pede anulação de resultado de referendo na Turquia

Apoiadores do "não" em referendo protestam em Istambul em 16 de abril de 2017

O líder do Partido Republicano do Povo (CHP), principal partido da oposição turca, pediu nesta segunda-feira a anulação dos resultados do referendo de domingo para reforçar os poderes do presidente Recep Tayyip Erdogan, denunciando irregularidades.

"Há apenas uma decisão a tomar (...) que o Alto Conselho Eleitoral (YSK) anule o referendo", declarou Bulent Tezcan, vice-presidente do CHP (social-democratas), citado pela agência de notícias Dogan.

O CHP, assim como o partido pró-curdo HDP, criticaram duramente uma decisão tomada pelo YSK de aceitar como válidas as cédulas não marcadas com o selo oficial das autoridades eleitorais. A oposição viu nisso uma manobra que possibilita as fraudes.

Tezcan também afirmou nesta segunda-feira que muitos eleitores não puderam votar em segredo e que as operações de contagem foram realizadas de forma privada.

"Esta eleição que seguiu o princípio de 'voto aberto, contagem secreta' (...) entrará nas páginas obscuras da história", declarou em uma conferência na sede do CHP em Ancara, segundo a Dogan.

O responsável indicou que o CHP depositará um recurso ante o YSK "uma vez que os preparativos tenham sido completados", acrescentando que será possível apelar ao Tribunal Constitucional, inclusive ao Tribunal Europeu de Direitos Humanos.