Líder pró-Moscou em cidade tomada na Ucrânia pedirá a Putin que incorpore o território à Rússia

  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
Neste artigo:
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
***ARQUIVO***BRASÍLIA, DF, 16.07.2014 - O presidente russo, Vladimir Putin, deixa o Palácio do Itamatary, em Brasília, após participar da reunião do Brics. (Foto: Pedro Ladeira/Folhapress)
***ARQUIVO***BRASÍLIA, DF, 16.07.2014 - O presidente russo, Vladimir Putin, deixa o Palácio do Itamatary, em Brasília, após participar da reunião do Brics. (Foto: Pedro Ladeira/Folhapress)

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - Lideranças apoiadas por Moscou na região de Kherson, na Ucrânia, anunciaram nesta quarta-feira (11) que pedirão a Vladimir Putin que anexe o território à Rússia.

Segundo Kirill Stremusov, vice-chefe da administração civil-militar da região tomada pela russa durante a guerra, o objetivo é fazer de Kherson "um assunto da Federação Russa".

A tomada de Kherson é considerada até agora um dos principais sucessos militares de Moscou desde o início da guerra. Desde o início do mês, o rublo passou a ser a moeda corrente da região.

O Kremlin disse nesta quarta que cabe aos moradores que vivem no território ocupado a decisão de se juntar à Rússia, desde que essa opção tenha uma base legal.

O respaldo jurídico a que Moscou se refere poderia ser a realização de um referendo, que a Ucrânia, os EUA e outros aliados ocidentais acusam a Rússia de tentar promover para embasar de forma ilegítima sua invasão.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos