Líder do PT na Câmara é rifado por Lula e diz que foi preterido no Ministério do Desenvolvimento Agrário

O líder do PT na Câmara dos Deputados, deputado Reginaldo Lopes (MG), afirmou nesta quarta-feira que não será mais ministro. Como mostrou O GLOBO mais cedo, o nome dele era praticamente certo para o comando do Ministério do Desenvolvimento Agrário (MDA), mas ele precisou ceder espaço após o presidente eleito, Luiz Inácio Lula da Silva, ampliar o espaço de partidos de centro no seu futuro governo.

Infográfico: Veja os favoritos e os cotados para o Ministério de Lula

Veja também: Bolsonaro prepara saída do país e deve viajar para os Estados Unidos antes do fim do mandato

Após se reunir com o presidente eleito na noite desta quarta-feira, Lopes afirmou que está fora da Esplanada porque houve necessidade de um novo arranjo político para acomodar o PSD e União Brasil, que serão contemplados com três Ministérios cada um.

— Fui convidado para assumir o MDA, mas como teve um novo arranjo de governabilidade, em que o União Brasil passa a ter três ministros e também o PSD, não foi possível — disse Lopes ao deixar o hotel em Brasília onde Lula está hospedado.

Antes do MDA, Lopes também havia sido preterido na escolha de outras duas pastas. Deputados do partido apoiavam o nome dele para o Ministério da Educação, entregue a Camilo Santana, ex-governador do Ceará. Diante do primeiro revés, o líder do PT afirmou a Lula que gostaria de assumir o Planejamento. A pasta, no entanto, ficará com Simone Tebet (MDB).

Antes da nova reviravolta, Lopes vinha, inclusive, trabalhando na montagem da estrutura da pasta de Desenvolvimento Agrário. Na segunda-feira, visitou o Centro Cultural do Banco do Brasil (CCBB), sede do governo de transição em Brasília, para conhecer a estrutura que o ministério terá. Na ocasião, ele conversou com integrantes do grupo temático da área na transição e discutiu organograma da pasta.

A dança das cadeiras também deve mexer com outro deputado do PT. O GLOBO apurou que Paulo Teixeira (SP) será desalojado do Ministério das Comunicações, que foi oferecido ao União Brasil. O nome mais cotado para assumir é o do também deputado Paulo Azi (BA).

Teixeira, por sua vez, não deve ficar de mão abanando e pode assumir o MDA no lugar de Lopes.