Líder do ranking de técnicos do GLOBO, Cuca afirma: 'Nunca abri mão do meu estilo'

·1 min de leitura

Depois de dois anos de supremacia de técnicos estrangeiros no futebol brasileiro, Cuca terminou 2021 como o líder do ranking de treinadores do GLOBO/EXTRA. Homem à frente do Atlético-MG no ano mágico, de conquistas do Mineiro, da Copa do Brasil e do Brasileiro, ele celebra a temporada reforçando o peso do passado. Já são 17 anos desde o primeiro trabalho em um clube grande do Brasil, o São Paulo. Os feitos de lá para cá se multiplicam.

- Tenho todo esse tempo na primeira divisão e todos os anos estou disputando alguma coisa. Deixei o Brasil, fui para a China, e lá fui bicampeão. Estou sempre me inteirando de tudo, tentando me modernizar ao máximo. E nunca abrindo mão do meu estilo, o que tem dado certo - afirmou.

Finalista da Libertadores de 2020, com o Santos, e semifinalista em 2021, com o Atlético-MG, ele volta a colocar um brasileiro no topo da lista, depois de Jorge Jesus ser o melhor em 2019, graças ao trabalho feito no Flamengo, e Abel Ferreira liderar em 2020 depois de ser campeão sul-americano com o alviverde.

Para Cuca, ser o brasileiro que interrompeu a sequência dos técnicos estrangeiros foi uma questão de oportunidade:

- Não tenho nada de diferente em relação aos outros treinadores brasileiros. Temos técnicos bons, ótimos. Em 2022 pode ser outro treinador brasileiro que não eu. É ter o time certo na hora certa.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos