Lagarde reconhece benefícios da globalização, mas diz que criou desigualdade

Frankfurt (Alemanha), 16 mar.- A diretora-gerente do Fundo Monetário Internacional (FMI), Christine Lagarde, reconheceu nesta quinta-feira que "a liberdade de movimento de bens, capitais e pessoas foi muito benéfica", mas agora é preciso se concentrar naqueles que não puderam aproveitar os benefícios da globalização.

"Para isso é preciso trabalhar nas políticas nacionais de educação e emprego", acrescentou Lagarde em uma conferência organizada pelo Instituto de Finanças Internacionais (IFI) e a presidência alemã do G20.

Lagarde afirmou que a globalização criou um aumento de desigualdade em muitas economias avançadas e nas emergentes.

E disse que há muitas pessoas que pensavam que quando eram crianças, se trabalhassem duro, sua situação seria melhor do que a de seus pais, mas que agora acreditam que não será o caso para seus filhos.

A diretora do FMI disse que esta instituição financeira não observa saída de capital das economias emergentes como consequência da apreciação do dólar após as altas das taxas de juros nos EUA, mas advertiu que isto pode ocorrer. EFE