Líder separatista defende pena de morte para soldados capturados

O líder separatista pró-Rússia em Donetsk diz concordar com a sentença de pena de morte aplicada a dois britânicos e a um marroquino que lutavam pelo exército ucraniano e que foram capturados pelas forças de Putin.

Denis Pushilin fala de uma condenação "justa". O líder da autoproclamada República Popular de Donetsk diz que os três homens foram para a Ucrânia "para matar civis por dinheiro." E por tal considera a punição "perfeitamente justa para os três.", disse aos jornalistas.

Dois dos três homens moravam na Ucrânia desde 2018. Decidiram os três alistar-se no exército para lutar pelo país.

As Nações Unidas pedem a libertação dos soldados, detidos pelos separatistas pró-Rússia em maio. Foram condenados à morte pela justiça.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos