Líder sindical ameaça Air France em caso de demissões disciplinares

Miguel Fortea, secretário-geral do sindicato CGT da Air France, participa de audiência com parlamentares, em Paris, no dia 4 de novembro de 2015

Um líder sindical da Air France ameaçou nesta quarta-feira com um "conflito sem precedentes" caso haja demissões de trabalhadores envolvidos em processos disciplinares após a violência cometida contra dirigentes da empresa francesa no início de outubro.

"Nós não vamos aceitar nenhuma demissão", afirmou Miguel Fortea, secretário-geral do sindicato CGT da Air France, durante uma audiência perante parlamentares.

"Se a direção quiser dar exemplos, sairemos às ruas e teremos um conflito sem precedentes", alertou o dirigente sindical.

No total, a Air France deu entrada em 18 processos disciplinares contra funcionários suspeitos de participar dos atos de violência que ocorreram em 5 de outubro, após o anúncio de uma de reestruturação prevendo a supressão de 2.900 postos de trabalho ao longo de dois anos.

Naquele dia, as imagens dos dois executivos da empresa fugindo, com roupas esfarrapadas, da fúria dos funcionários rodaram o mundo, causando preocupação entre as autoridades públicas e a comunidade empresarial.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos