Líderes católicos e judeus italianos condenam uso de bandeira nazista em funeral de igreja

·1 min de leitura

Por Philip Pullella

ROMA (Reuters) - Líderes católicos e judeus italianos condenaram nesta terça-feira como ultrajante um episódio em que extremistas de direita colocaram uma bandeira com uma suástica sobre um caixão do lado de fora de uma igreja após um funeral religioso e fizeram saudações nazistas.

A arquidiocese católica de Roma disse em comunicado que os padres da paróquia de Santa Lúcia, que fica em um bairro central de Roma, incluindo o clérigo que presidiu o rito fúnebre, não tinham ideia do que aconteceria fora da igreja na segunda-feira.

Imagens na internet mostram o caixão com o corpo de Alessia Augello, ex-integrante do grupo extremista de direita Forza Nuova, coberto pela bandeira.

A declaração da diocese chamou a bandeira de "um símbolo horrendo que não pode ser conciliado com o cristianismo" e disse que o episódio foi um exemplo ofensivo de "exploração ideológica" de um serviço religioso.

A polícia disse que está investigando o incidente como um possível crime de ódio.

A comunidade judaica de Roma expressou indignação por tais eventos ainda poderem acontecer mais de sete décadas após o fim da Segunda Guerra Mundial e a queda da ditadura fascista italiana.

"É inaceitável que uma bandeira com uma suástica ainda possa ser mostrada em público nos dias de hoje, especialmente em uma cidade que viu a deportação de seus judeus pelos nazistas e seus colaboradores fascistas", disse o comunicado.

(Philip Pullella)

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos