Líderes de China e Taiwan vão ter reunião histórica em Cingapura

Combinação de fotos do presidente de Taiwan, Ma Ying-jeou (à esquerda), e do presidente da China, Xi Jinping. 03/11/2015 REUTERS/Pichi Chuang /Muneyoshi Someya

TAIPEI/PEQUIM (Reuters) - Os presidentes de Taiwan e China vão se reunir em Cingapura no sábado para discutir questões bilaterais, afirmou o gabinete presidencial de Taiwan, no primeiro encontro de líderes dos dois lados desde que a guerra civil chinesa terminou em 1949. O presidente de Taiwan, Ma Ying-jeou, viajará a Cingapura para encontrar o presidente chinês, Xi Jinping, de acordo com um comunicado do gabinete presidencial de Taiwan. A agência de notícias estatal da China, a Xinhua, também confirmou a reunião entre os mandatários. O encontro acontece em um momento politicamente sensível em Taiwan, já que eleições para um novo presidente e o legislativo serão realizadas em 16 de janeiro. O Escritório de Assuntos de Taiwan na China afirmou em comunicado: "A atitude do continente para uma reunião entre os líderes de ambos os lados do Estreito de Taiwan é positiva e consistente. Se houver notícias sobre isso, nós informaremos em tempo hábil." O objetivo da viagem de Ma Ying-jeou é "consolidar a paz no estreito e manter o status quo", disse seu gabinete. Ele não deve assinar qualquer acordo, nem emitir quaisquer declarações conjuntas com a China durante a viagem, acrescentou. O Partido Nacionalista pró-China, de Ma, conhecido como Kuomintang (KMT), está atrás nas pesquisas de opinião da principal legenda de oposição, o Partido Democrático Progressista, que tradicionalmente é a favor da independência e detestado pelo Partido Comunista chinês. Os nacionalistas liderados por Chiang Kai-shek fugiram para Taiwan após serem derrotados pelos comunistas de Mao Zedong no fim da guerra civil chinesa. Desde então, Taiwan tem sido autogovernado, mas a China considera a ilha uma província separatista e quer tomá-la de volta, pela força se necessário, especialmente se houver movimentos em direção à independência. Tentativas anteriores da China de influenciar as eleições de Taiwan não deram resultado. (Reportagem de J.R. Wu e Ben Blanchard)

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos