Líderes do MDB gaúcho dão sinal verde para chapa com Leite

  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
Neste artigo:
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.

Após semanas de entraves nas negociações na disputa ao governo gaúcho, líderes históricos do MDB no Rio Grande do Sul se manifestaram, nesta quarta-feira, favoráveis a uma aliança estadual com os tucanos e que, consequentemente, teria como contrapartida o apoio do PSDB à candidatura da senadora Simone Tebet à Presidência da República.

Sem registro em SP: Moro enfrentará bolsonaristas do União Brasil no Paraná, além de investigação criminal

Eleições 2022: Bolsonaro poderia resolver alta dos combustíveis com 'canetada', mas não faz, diz Lula

À frente nas pesquisas: Lula e Bolsonaro ignoram terceira via na pré-campanha

As sinalizações foram feitas pelo ex-governador Germano Rigotto e por José Fogaça, que é ex-prefeito de Porto Alegre. No entanto, interlocutores afirmam que eles condicionam o apoio à discussão com as bases da sigla naquele estado antes da formalização.Para viabilizar a coligação, o PSDB quer que o MDB abra mão da pré-candidatura do deputado estadual Gabriel Souza (MDB-RS), que já foi lançada. Souza seria o vice de Leite, ainda que já apareça como candidato da sigla nas propagandas do partido na TV e já percorra o estado como postulante ao Palácio do Piratini.

Para destravar a composição e aplacar as discordâncias, os presidentes do MDB, Baleia Rossi, e Bruno Araújo, do PSDB, estão reunidos nesta tarde na tentativa de afinar o discurso de união, ainda que não haja nenhuma decisão oficial.

No entanto, Gabriel Souza mantém o discurso a pessoas próximas de que segue candidato e inclusive lançou uma página na internet nesta manhã sobre sua campanha ao Palácio do Piratini. Ele tem o apoio da militância da sigla e de outros quadros da velha guarda.

Em meio à resistência dos emedebistas gaúchos, Rigotto adotou tom conciliador ao tratar da chapa Ele foi seguido por Fogaça, que divulgou uma nota em que enaltece o papel de Tebet na tentativa de quebrar a polarização representada pelo ex-presidente Lula (PT) e o presidente Jair Bolsonaro (PL).

"O Rio Grande do Sul sabe do seu papel nos momentos decisivos da história. Precisamos pacificar o país, e isso só será possível com candidatura alternativa aos polos, e, em especial, sem divisão do Centro Democrático", afirma Rigotto.

Fogaça fez coro com o ex-governador por meio de nota: " O país inteiro olha atento para o MDB-RS. Temos sido procurados pelo governador Eduardo Leite e pelos dirigentes nacionais do PSDB. As idas e vindas da política colocaram a candidatura de Simone Tebet e o MDB-RS como pilares fundamentais do centro democrático neste país e como as últimas forças capazes de romper a polarização", disse Fogaça.

O presidente do MDB gaúcho, Fábio Branco, que nesta terça-feira publicou uma nota negando que já tivesse fechado uma aliança com Leite após um encontro, ainda não se manifestou sobre o assunto.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos