Líderes mundiais prometem mais apoio para proteger a natureza antes de cúpula da ONU

Chanceler alemão Olaf Scholz na ONU

Por Gloria Dickie

LONDRES (Reuters) - Os líderes mundiais intensificaram na terça-feira o apoio financeiro e os compromissos de conservação para combater a crise global da biodiversidade que ameaça mais de um milhão de espécies de plantas e animais de extinção.

À margem da reunião da Assembleia Geral das Nações Unidas em Nova York, a Alemanha prometeu 1,5 bilhão de euros por ano em financiamento internacional para a biodiversidade, mais do que dobrando seus compromissos atuais.

Em breve, os países se reunirão em Montreal, no Canadá, para uma cúpula sobre biodiversidade da ONU (COP15) para finalizar e adotar uma estrutura para proteger e conservar a natureza.

A conferência de dezembro "precisa ser um ponto de virada para nossos esforços de conservação", disse o chanceler alemão Olaf Scholz ao anunciar o novo financiamento. "Com esta contribuição, queremos enviar um forte sinal para um resultado ambicioso da biodiversidade COP15."

Economistas dizem que, para reverter o declínio da biodiversidade até 2030, o mundo precisa gastar até 967 bilhões de dólares por ano, dando uma lacuna atual de mais de 800 bilhões de dólares por ano.

Enquanto a Alemanha prometeu o maior financiamento de qualquer país industrializado, outros anunciaram novas estratégias, incluindo um plano para financiar a biodiversidade apoiado por Equador, Gabão e Reino Unido, entre outros.

O plano "define o que esperamos de governos, instituições financeiras, setor privado, filantropos e sociedade civil, para enfrentar o desafio de aumentar e mobilizar recursos para a biodiversidade", disse o presidente equatoriano Guillermo Lasso.

Aqueles que participaram do evento paralelo de alto nível, incluindo o primeiro-ministro canadense Justin Trudeau, reiteraram seu compromisso de proteger e conservar pelo menos 30% de seu território terrestre e oceânico até 2030.

(Reportagem de Gloria Dickie em Londres)]