Líderes regionais parabenizam Petro por vitória na Colômbia; Bolsonaro ainda não se pronunciou

Lideranças regionais parabenizaram neste domingo o ex-guerrilheiro Gustavo Petro por sua eleição para a Presidência da Colômbia. Os presidentes do Chile, Gabriel Boric, da Argentina, Alberto Fernández, e o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva foram rápidos em seus cumprimentos ao primeiro político esquerdista a chegar ao Palácio de Nariño. O presidente Jair Bolsonaro, no entanto, não se pronunciou até o momento.

Contexto: Petro conquista vitória histórica e leva esquerda pela primeira vez ao poder na Colômbia

Esperança da esquerda: Ex-guerrilheiro Gustavo Petro apostou em teimosia para se tornar primeiro presidente de esquerda da Colômbia

Final desesperado: Sob tensão, Colômbia escolheu entre esquerda e populista adotado pela direita

Boric, o jovem presidente de esquerda chileno, foi um dos primeiros a tuitar uma mensagem para Petro e sua vice, Francia Marquez, a primeira mulher negra a chegar à Vice-Presidência do país. Ele disse ter "acabado de falar" com o novo líder colombiano para "felicitá-lo por seu triunfo na Presidência da Colômbia":

"Alegria para a América Latina! Trabalharemos juntos pela unidade de nosso continente nos desafios de um mundo que muda velozmente. Seguimos!", disse Boric, que tomou posse em março.

Menos de dez minutos depois, foi a vez de Fernández afirmar que a vitória de Petro e Marquéz "o enche de alegria". O peronista disse ter "transmitido ao presidente eleito suas felicitações pela confiança que o povo colombiano depositado nele:

"Sua vitória reafirma a democracia e garante o caminho para uma América Latina integrada em um tempo que exige a máxima solidariedade entre povos irmãos", afirmou o ocupante da Casa Rosada.

O ex-presidente Lula, a quem Petro apoia explicitamente nas eleições brasileiras de outubro, "felicitou calorosamente os companheiros" colombianos por sua "importante vitória" e desejou sucesso à dupla. De acordo com Lula, a vitória de Petro e Marquéz "fortalece a democracia e as forças progressistas na América Latina".

Tom similar foi adotado pela ex-presidente Dilma Rousseff, que classificou o "triunfo histórico" como uma "grande vitória do bravo povo colombiano". O resultado, segundo a primeira e única mulher a chegar ao Palácio do Planalto, é "um alento e uma renovada esperança para todas as nações da América Latina que lutam por democracia e contra o neoliberalismo".

O peruano Pedro Castillo afirmou ter ligado para Petro para parabenizá-lo por seu "histórico triunfo democrático". Ele afirmou que ambos são unidos "por um sentimento comum que busca melhoras coletivas, sociais e de integração regional para nossos povos. Irmão Gustavo, conte sempre com o apoio do Peru".

"Parabéns ao povo colombiano! Nossos parabéns ao irmão Gustavo Petro e à irmã Francia Marquez", disse o boliviano Luis Arce. "A integração latino-americana se fortaleceu."

Já Nicolás Maduro, presidente da Venezuela, parabenizou Petro e Francia por sua "vitória histórica", afirmando que "foi ouvida a vontade do povo colombiano" ,que defendeu "o caminho da democracia e da paz". Segundo o líder chavista, "há novos tempos a vista para o país irmão".

Para chegar à Presidência da Colômbia e vencer a resistência histórica do país à esquerda, Petro se afastou da simpatia por Cuba e Venezuela e mudou seu guarda-roupa, adotando trajes mais comumente associados a um estadista. É mais um líder de esquerda eleito na América Latina, e fala em criar um eixo progressista regional junto de Boric e Lula.

A cortesia não se limitou à esquerda. O presidente colombiano Iván Duque, direitista, afirmou em seu Twitter ter ligado para Petro e o convidado para uma reunião nos próximos dias. O encontro, disse ele, dará início a uma transição "harmônica, institucional e transparente".

"Para defender a democracia, é preciso respeitá-la. Gustavo Petro é presidente. Que um sentimento nos guie: Colômbia primeiro", tuitou o ex-presidente Álvaro Uribe.

O oponente de Petro, o populista antissistema Rodolfo Hernández, admitiu sua derrota em um curto vídeo transmitido ao vivo em suas redes sociais. O engenheiro, que teve mais de 10 milhões de votos neste domingo, disse que "aceita o resultado, como deve ser se desejamos que nossas instituições sejam firmes".

— Desejo a Gustavo Petro que saiba conduzir o país, que seja fiel ao seu discurso contra a corrupção e que não decepcione aqueles que confiaram nele — disse Hernández.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos