Laís Bodanzky deixa a Spcine, que escolhe advogada e cineasta para a presidência

·1 minuto de leitura
***ARQUIVO***SÃO PAULO, SP, 21.10.2019: Diretora da Spcine, Laís Bodanzky, durante exibição especial da série
***ARQUIVO***SÃO PAULO, SP, 21.10.2019: Diretora da Spcine, Laís Bodanzky, durante exibição especial da série

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - A cineasta Laís Bodanzky, de filmes como "Bicho de Sete Cabeças" e "Como Nossos Pais", deixou o cargo de diretora-presidente da Spcine, a agência paulistana de fomento ao cinema, que ela ocupava desde fevereiro de 2019, informou o a organização em comunicado nesta sexta-feira (19).

Especialista em políticas para o setor audiovisual, ela encabeçou o comitê brasileiro responsável por escolher "Babenco - Alguém Tem que Ouvir o Coração e Dizer: Parou" para tentar uma vaga ao Oscar deste ano.

De acordo com Alê Youssef, secretário de Cultura de São Paulo, órgão ao qual a Spcine está vinculada, a mudança no comando já estava sendo articulada pelo prefeito Bruno Covas com Bodanzky. A palavra de ordem para a nova gestão é continuidade.

"Desde que Laís Bodanzky aceitou nosso convite para assumir a presidência da Spcine, deixou clara sua disposição de se dedicar por dois anos à estruturação e valorização da empresa municipal e do próprio setor audiovisual na cidade de São Paulo", afirmou ele em nota divulgada à imprensa.