LAAC 2023: primeiro dia de competição é marcado por anúncio de sede e bom começo de dupla brasileira

O primeiro dia de competição da oitava edição do Latin America Amateur Championship (LAAC) 2023 ficou marcado pelas acirradas disputas nos gramados e o anúncio da sede da edição do ano que vem. Pela segunda vez na história do torneio, o Panamá receberá a competição — em 2017, o chileno Thomas “Toto” Gana foi o vencedor no país. Dessa vez, o campeonato será no Santa Maria Golf Club.

LAAC 2023: brasileiro é grande favorito e pode dar título inédito para o país no torneio de golfe

O anúncio foi feito em entrevista coletiva pelos chefes da R&A, USGA e do Masters, fundadoras do LAAC.

— Quero, de coração, parabenizar Santa Maria, a Associação de Golfe do Panamá. Em nome das nossas três organizações, (digo que) nós não estamos só animados para trabalhar com vocês nos próximos 12 meses, mas também para trabalhar para vocês para levar o nono campeonato para sua casa — falou Mike Whan, CEO da USGA.

Ademais, os dirigentes aproveitaram a ocasião para anunciar que, além das vagas para o The Open do Reino Unido e para o Masters do Estados Unidos, o campeão da oitava edição do LAAC também terá direito a uma vaga para disputar o U.S Open, que será realizado em junho, no Los Angeles Country Club. De acordo com Mike Whan, “a adição desta isenção reforça o compromisso com o desenvolvimento do golfe na América Latina e reconhece o nível de talento que compete neste campeonato”.

Dupla brasileira começa bem

Nos gramados, dois dos oito brasileiros que competem no LAAC iniciaram bem a competição. Fred Biondi, jogador mais bem ranqueado entre todos os 108 atletas do torneio, fechou o percurso dos 18 buracos com -2 em relação ao par do campo. Biondi chegou a ocupar a primeira posição parcial com -3, mas uma queda de rendimento nos buracos finais fez com que o brasileiro terminasse a rodada na 13ª colocação.

— Foi um dia sólido. Poderia ser melhor, tive um bom começo e acabei dois abaixo. Mas ainda tem muito torneio, então to ali na frente. Vamos para cima nesses próximos dias e ver no que dá — falou Biondi, que analisou as partes em que enfrentou mais dificuldade durante o percurso. — A segunda volta é um pouco mais difícil. Ventou um pouco mais, isso dificulta. Dei tiros um pouco mais para a esquerda no tee, mas o resto foi bom. Amanhã vamos para cima.

Quem surpreendeu e terminou o dia entre os dez primeiros colocados foi o paulista Guilherme Grinberg. Aos 19 anos, o segundanista da Universidade Atlântica da Flórida fez -3 em relação ao par e ocupa a oitava colocação. Na próxima sexta-feira, Grinberg volta ao Grand Reserve Golf Club às 07h32 no horário local (08h32 no horário de Brasília).

Fechando a rodada para os brasileiros, Matheus Balestrin terminou o dia na 22ª colocação com -1, Marcos Negrini na 30ª com desempenho igual ao par do campo, Andrey Xavier na 57ª com +2, Thomas Choi e Homero de Toledo na 72ª com +4 e Lucas Park na penúltima colocação com +14.

*O repórter viaja a convite da organização