Labirintite: veja causas, sintomas e tratamento

·2 minuto de leitura

A labirintite é o nome popular da condição que acomete uma estrutura delicada na parte interna dos ouvidos chamada labirinto. É essa a estrutura responsável pelo controle da audição (cóclea) e do equilíbrio de uma pessoa (vestíbulo). Problemas nessa região podem afetar a capacidade de ouvir e causar tonturas, o que pode levar a quedas repentinas.

Quais as causas da labirintite?

As causas podem ser variadas, e não necessariamente originárias de processos inflamatórios, como sugere o nome popular do problema.

As principais razões podem incluir:

Inflamações no interior dos ouvidos;Infecções virais;Tumores;Estresse;Doenças circulatórias.

Quais os sintomas mais comuns?

O sintoma mais comum é a tontura, que pode vir acompanhada de:

Sensação de ouvido tampado;Zumbido;Náuseas e vômitos;Perda auditiva.

Geralmente, os sintomas cessam em poucos minutos, mas podem se estender por horas ou dias, a depender do quadro.

— As tonturas podem se dividir em duas formas: rotatórias e não-rotatórias. Nas rotatórias, a pessoa sente o mundo girar em volta dela, ou o contrário — explica o médico otorrinolaringologista Jamal Azzam. — Já as não-rotatórias são caracterizadas por um desequilíbrio, como se a pessoa não tivesse firmeza para sustentar o próprio corpo.

Como é feito o tratamento da labirintite?

Existem os tratamentos clínico e o medicamentoso. O tratamento é geralmente indicado por um médico otorrinolaringologista e pode incluir o uso de medicamentos como antibióticos, corticosteroides e remédios contra enjoo. Mas o médico pode recomendar também o repouso em local silencioso e escuro, para reduzir o desconforto causado pela crise.

— As tonturas são sempre um sinal de alerta para o ser humano. Existem doenças neurológicas que podem causá-las, assim como tumores e problemas cardiovasculares. Portanto, em caso de uma tontura que persista por mais de dois dias, é necessário buscar ajuda médica — recomenda Jamal Azzam.

Em quadros mais específicos, pode ser necessária uma intervenção cirúrgica, como quando há tumores na região do labirinto.

Há como prevenir as crises?

Sim. Uma recomendação importante é investir em um estilo de vida saudável. Evite cigarros, bebidas alcoólicas, café, chá preto, chocolate e outras substâncias que possam agravar o problema.

A labirintite pode piorar com a idade, o que torna as possíveis quedas decorrentes das crises um perigo ainda maior. Então, é de extrema importância que o idoso busque ajuda médica caso as tonturas se tornem constantes.

A alimentação pode ajudar na prevenção. A dieta ocidental é escassa em nutrientes como zinco e selênio, portanto deve-se buscar alimentos que forneçam tais elementos.

— Uma forma de prevenir a labirintite é comer, todos os dias, uma pequena quantidade de alguma oleaginosa, como nozes, amêndoas, avelãs e amendoins.

A movimentação do corpo por meio de atividade física também é altamente recomendada, sobretudo entre os idosos, justamente para estimular o labirinto.

Referências:

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos