Laboratório chinês Sinovac se declara confiante em sua vacina, apesar da suspensão de testes no Brasil

·1 minuto de leitura
Enfermeira mostra vacina contra a covid-19 produzida pela empresa chinesa Sinovac Biotech no Hospital São Lucas, em Porto Alegre
Enfermeira mostra vacina contra a covid-19 produzida pela empresa chinesa Sinovac Biotech no Hospital São Lucas, em Porto Alegre

O laboratório chinês Sinovac Biotech afirmou nesta terça-feira que tem confiança na segurança de sua vacina experimental contra a covid-19, depois da suspensão de um teste clínico no Brasil devido a um "incidente grave".

"Estamos confiantes na segurança da vacina", afirmou a Sinovac em um comunicado, no qual destaca que o incidente em questão não tinha "relação" com a vacina, desenvolvida entre a farmacêutica chinesa Sinovac e o Instituto Butantan.

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) do Brasil anunciou na segunda-feira a suspensão dos testes clínicos da vacina CoronaVac após um "evento adverso grave" envolvendo um voluntário, ocorrido em 29 de outubro.

O órgão regulador informou que não poderia revelar detalhes sobre o ocorrido por causa de regulamentos referentes à privacidade, mas revelou que os incidentes adversos graves incluem óbito, efeitos colaterais potencialmente fatais, incapacidade ou invalidez persistente ou significativa, internação hospitalar, anomalia congênita e "evento clinicamente significante".

O contratempo para a CoronaVac aconteceu no mesmo dia em que o grupo farmacêutico americano Pfizer anunciou que sua vacina contra a covid-19 tem 90% de efetividade. 

As vacinas da Pfizer e Sinovac estão na fase 3 dos testes, a última antes de obter ou não a aprovação das autoridades reguladoras. 

As duas estão sendo testadas no Brasil, o país com o segundo maior número de mortos por covid-19, atrás apenas dos Estados Unidos, com mais de 162.000 vítimas fatais.

tjx-bar/lth/mar/es/fp