Laboratórios GSK e CureVac trabalharão em vacina contra variantes da covid-19

·1 minuto de leitura
Os laboratórios GSK e CureVac trabalharão em conjunto para desenvolver até 2022 uma vacina baseada na tecnologia do RNA mensageiro contra as novas variantes do coronavírus

Os laboratórios farmacêuticos britânico GSK e alemão CureVac anunciaram nesta quarta-feira que trabalharão em conjunto para desenvolver até 2022 uma vacina baseada na tecnologia do RNA mensageiro contra as novas variantes do coronavírus.

"O programa de desenvolvimento começará imediatamente, com o objetivo de introduzir a vacina em 2022", afirma um comunicado divulgado pelas empresas.

A GSK destacou que ajudará ainda este ano na produção da primeira vacina desenvolvida pela CureVac, que atualmente está na fase 3 de testes clínicos.

O laboratório britânico, que em julho adquiriu 10% da CureVac, indicou que produzirá até 100 milhões de doses desta primeira vacina.

O acordo estipula que a GSK aportará 150 milhões de euros (181 milhões de dólares) à 'start-up' alemã para ter os direitos da nova vacina em todos os países, exceto Alemanha, Áustria e Suíça.

A colaboração entre as empresas pretende desenvolver vacinas contra a covid-19 de próxima geração "com o potencial de um enfoque polivalente para abordar múltiplas variantes emergentes em uma vacina", afirma o comunicado.

"O aumento de variantes emergentes com o potencial de reduzir a eficácia das vacinas contra a covid-19 de primeira geração requer uma aceleração dos esforços para desenvolver vacinas contra novas variantes para permanecer um passo à frente da pandemia", completa o texto.

A diretora executiva da GSK, Emma Walmsley, afirmou que as "vacinas da próxima geração serão cruciais na luta continua contra a covid-19".

"Estamos muito felizes de desenvolver nossa relação existente com a GSK com um novo acordo", declarou o diretor executivo da CureVac, Franz-Werner Haas.

bcp/bmm/zm/tjc/fp