Ladim abre mão das carrapetas e do forró para virar empresário de funk e trap

Depois de uma trajetória dentro do forró, Ladim decidiu se aventurar em outros ritmos e se tornou um empresário de funk e trap. De olho no mercado, que cresce a medida que o preconceito diminui, ele abriu uma empresa para dar mais visibilidade a artistas do gênero.

Com mais de 20 anos de noite, o ex-radialista e ex-DJ trabalha com o funk há mais de 15 anos, desde os tempos em que o ritmo era marginalizado.

“No começo, havia muito preconceito por parte dos contratantes e também exagero do lado dos artistas – nas letras das músicas, que incluíam palavrões e apologia a armas e drogas”, lembra Ladim.

No início de sua trajetória, o agora empresário apresentava um programa sobre forró pé-de-serra (gênero em alta na época) na rádio Alternativa FM (BH) e começou a se envolver na produção de eventos organizados pela emissora:

“Trabalhávamos somente com bandas de forró, mas depois eu passei a fazer outras produções, envolvendo artistas de vários gêneros, até chegar aos funkeiros”.


Depois dos funkeiros daquela época ( Colibri, MC Frank e Menor da Chapa, Sapão) o escrit, entre outros) o escritório de Ladim passou a comercializar e a produzir shows com os representantes do gênero que até hoje destacam-se no cenário, como Buchecha, Marlboro e Valesca Popozuda.

“Até alguns anos atrás, eu atendia apenas o estado de Minas. Mas graças à divulgação do escritório, passei a vender shows também em cidades dos estados de São Paulo, Paraná, Rio de Janeiro, Espírito Santo e Goiás”, acrescenta.