Ladrões furtam 16 sinos de bronze do Museu do Trem do Rio

Na madrugada de terça-feira, 16 sinos de bronze foram roubados do Museu do Trem, localizado no bairro de Engenho de Dentro, no Rio de Janeiro. De acordo com o Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan), responsável pela administração do museu, o local “não apresentou sinais de arrombamento ou invasão” e conta com "policiamento armado 24h por dia e instalação protegida com concertinas clipadas".

Jerominho é morto na ZO: Fundador da maior milícia do estado, ex-vereador foi alvo de tiros

CEPERJ: Presidente pede exoneração após investigação

Em 2011, o acervo e o prédio do museu foram tombados pelo Iphan, após ser inventariado por mais de dez anos. Inaugurado em 1984, conta com mais de mil peças, onde destacam-se a locomotiva Baroneza (na grafia antiga, com z), a primeira a trafegar pelo Brasil, em 1854.

Além dela, o museu guarda o Carro Imperial, que servia a D. Pedro II, e o Carro do Rei Alberto, que transportou o monarca belga na década de 20. O vagão usado pelo ex-presidente Getúlio Vargas e outro onde viajou o Rei Alberto, da Bélgica, quando esteve no Brasil em visita oficial, em 1922 também fazem parte do acervo.

Em nota, a superintendência do Iphan-RJ disse que "tomou todas as providências necessárias, tendo realizado de imediato análise in loco para averiguar os fatos ocorridos" e que a investigação está "a cargo da Polícia Federal".

A PF ainda não se pronunciou sobre o caso.

*Estagiária sob supervisão de Leila Youssef

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos