Lagoa surge em faixa de areia em Balneário Camboriú 11 meses após alargamento

RIO DE JANEIRO, RJ (FOLHAPRESS) - Uma lagoa se formou na praia central de Balneário Camboriú, no litoral norte de Santa Catarina, uma das mais visitadas do estado.

O acúmulo de água surgiu entre o mar e a faixa de areia na terça-feira (1º). Segundo a prefeitura, o fenômeno faz parte do processo de estabilização da praia, que passou por um alargamento da orla há 11 meses.

"A formação dessa laguna ocorre já há alguns meses na Barra Sul, só naquele trecho de praia. Quando a maré sobe muito, ela invade parte da areia e forma essas pequenas lagunas, que são rasas e logo se desfazem", informou a prefeitura.

Já nesta quinta-feira (3), imagens captadas pelas câmeras da prefeitura mostravam a redução da água no local.

A lagoa se formou na mesma região na qual um enorme degrau surgiu há cerca de duas semanas. Na ocasião, com o declive na areia, apareceu também um tubo de cimento que, segundo a prefeitura, era de um antigo restaurante flutuante ali ancorado antes do alargamento da orla.

O engenheiro e diretor de planejamento e gestão orçamentária do município, Toni Fausto Frainer, disse que já era prevista a formação de lagunas e até degraus na região.

"Após o alargamento, é necessário este período de conformidade. Dependemos da natureza para a praia entrar em equilíbrio após eventos com energia de ondas mais intensas [ressaca], durante períodos mais frios. Tanto que dos 5.800 metros de extensão de praia central somente nesta região surgem algumas lagoas pequenas que se formam em período curto. O próprio movimento do mar cobre as mesmas", afirmou.

O oceanógrafo e professor da UERJ (Universidade do Estado do Rio de Janeiro) David Zee considera que esse tipo de fenômeno será comum exatamente por causa do processo de alargamento da praia.

"A praia vai mudar várias vezes de forma em função das forças oceânicas, como ondas, maré e vento. Fazendo uma analogia, é como se a praia tivesse passado por uma intervenção cirúrgica e aos poucos ela vai cicatrizando. Então, será cada vez mais comum aparecer degrau, lagunas... As pessoas vão ver a praia ficar mais larga e mais estreita. Isso vai ocorrer até que a praia chegue em seu perfil de equilíbrio já que ela foi alterada artificialmente", explicou.

A obra de extensão da praia central de Balneário Camboriú custou R$ 66,8 milhões e durou de março a dezembro de 2021, interditando grande parte do acesso aos banhistas.

A areia, trazida por tubos do fundo do mar, aumentou a orla de 25 metros para 70 metros. A largura da praia foi aumentada em toda a extensão da orla, que é de 5,8 quilômetros.