Lamborghini do “Rei do Bitcoin” é exposta em shopping de Londrina

·2 min de leitura
Lamborghini do Bitcoin Banco
Lamborghini do Bitcoin Banco

A Lamborghini Gallardo que pertencia ao falso “Rei do Bitcoin”, Cláudio Oliveira, foi exposta em um shopping de Londrina. Apreendida em Curitiba, capital do Paraná, a “lambo” que pertencia ao Grupo Bitcoin Banco viajou cerca de 380 quilômetros para a nova exposição.

Em 2021, essa foi apreendida pela Polícia Federal, que deflagrou a Operação Daemon contra o esquema com sede na capital Curitiba.

Leia também:

Desde 2019 em uma possível recuperação judicial fraudulenta, essa empresa que reunia várias corretoras de Bitcoin operava uma fachada. De acordo com as investigações, ao depositar nas plataformas do grupo, os clientes acreditavam que estavam negociando moedas, realizando até arbitragens entre as várias corretoras.

Esse procedimento ficou conhecido como arbitragem infinita no mercado, mas para a PF isso era um golpe. Após receber moedas dos clientes, os líderes do grupo sacavam os valores e levavam uma vida de luxo, comprando carros, casas e itens valiosos, que acabaram apreendidos pela PF.

A Lamborghini Gallardo é apenas um dos itens que foi apreendido, mas deve se tornar um marco dessa modalidade de golpes.

Segunda exposição da Lamborghini do Rei do Bitcoin é em shopping de Londrina

Segundo informações divulgadas pelo RIC Mais, a Lamborghini que pertencia ao Rei do Bitcoin chegou nesta segunda-feira (10) ao Shopping Boulevard, em Londrina.

No local, o veículo de luxo avaliado em R$ 900 mil e que pertencia a uma das maiores fraudes com a imagem do Bitcoin no Brasil ficará até o dia 30 de janeiro de 2022.

Presa desde julho de 2021, quando a Operação Daemon prendeu Cláudio Oliveira e sua esposa, o carro foi solicitado pela PF a justiça para fazer um trabalho educativo. Com a autorização sendo concedida, o veículo foi adesivado pela Polícia Federal e agora é exibido como um trófeu de combate ao crime organizado no Brasil.

Vale lembrar que recentemente a justiça efetuou um leilão dos itens apreendidos do Grupo Bitcoin Banco, com itens valiosos que somados alcançava o valor de R$ 1.448.850,00. Contudo, os valores arrecadados não são muito expressivos, com apenas R$ 430.800,00 sendo arrematados na época, ou seja, menos da metade do total de bens.

No caso dessa Lamborghini, como ela está a cargo da PF para demonstrações públicas, ela não foi colocada no leilão e deverá permanecer em apresentações pelo prazo em que a justiça definiu para isso. Contudo, após o fim do período, ela também deverá ser leiloada pela justiça federal de Curitiba que analisa o caso.

Em setembro de 2021, na cidade de Curitiba, a Lamborghini foi exposta no Museu Oscar Niemeyer (MON), permanecendo no local até 3 de outubro. Não está claro ainda quais locais ela deverá ir mais, mas o símbolo do fim do Grupo Bitcoin Banco segue em tour.

Fonte: Livecoins