Lançamento do Honor 20 Pro pode ser comprometido por sanção dos EUA à Huawei

Rafael Arbulu

O smartphone Honor 20 Pro, anunciado recentemente pela submarca da Huawei, pode ter sua chegada ao mercado europeu comprometida pelas sanções impostas pela ordem executiva emitida pelo presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, que rege o fim das relações comerciais de empresas americanas com a empresa chinesa, de quem a Honor é uma subsidiária.

Segundo reportagem do site 01Net, o Honor 20 Pro não recebeu a certificação Android necessária para que aparelhos que façam uso do sistema operacional tenham acesso e suporte à toda a suíte de serviços da Google (como acesso à loja Play Store e atualizações corriqueiras de segurança). O aparelho está previsto para chegada às prateleiras no início de julho deste ano.

Devido à ordem executiva, a Google retirou da Huawei o licenciamento de seu sistema operacional móvel, efetivamente cortando o acesso da empresa aos aplicativos first party, ou seja, softwares desenvolvidos pela própria Google (como o YouTube, Gmail e Google Maps, para citar alguns exemplos).

O smartphone Honor 20 Pro pode ter seu lançamento no mercado europeu comprometido devido às relações estremecidas entre a Huawei e o governo dos Estados Unidos

O governo norte-americano tentou amenizar o baque, concedendo à Huawei uma licença de operação do Android com validade de 90 dias, mas analistas indicam que isso pouco faz para ajudar a situação da empresa, que enfrenta posicionamentos similares de outras companhias, como Intel e Qualcomm. Recentemente, a Microsoft também removeu de suas lojas online as ofertas relacionadas ao laptop Matebook X Pro, de fabricação da Huawei e que vem com Windows 10 pré-instalado. A empresa, porém, ainda não sabe se vai revogar o licenciamento do Windows para a gigante chinesa.

Rumores também dão conta de que a fabricante de processadores móveis ARM, com sede no Reino Unido, também estaria cortando relações com a Huawei. Se confirmado, isso pode se provar danoso à empresa chinesa, haja vista que seu processador Kirin usa tecnologia da ARM em sua confecção e design.

O relato do 01Net não tem qualquer confirmação, então é possível que a situação do Honor 20 Pro não seja tão derradeira. Ademais, o Honor 20, versão mais enxuta do flagship, recebeu a referida certificação e ele foi anunciado pela Honor no mesmo dia. A Huawei e a Honor não comentaram a situação.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech: