Lapid será o novo primeiro ministro de Israel, que terá novas eleições

Premiê de Israel, Naftali Bennett, e chanceler do país, Yair Lapid, fazem pronunciamento em Paris

Por Ari Rabinovitch

JERUSALÉM (Reuters) - Parlamentares israelenses votarão na próxima semana para dissolver o Parlamento, abrindo caminho para a quinta eleição do país em três anos, após intensa pressão sobre a frágil coalizão do primeiro-ministro Naftali Bennett.

Bennett se afastará para ser substituído pelo ministro das Relações Exteriores, Yair Lapid, seu sócio na improvável coalizão de opostos que encerrou o governo de 12 anos do ex-primeiro-ministro Benjamin Netanyahu, 12 meses atrás.

Lapid, ex-jornalista que lidera o maior partido da coalizão, será primeiro-ministro interino até a realização de novas eleições.

"Estamos diante de vocês hoje em um momento que não é fácil, mas com o entendimento de que tomamos a decisão certa para Israel", disse Bennett em um comunicado televisionado ao lado de Lapid.

Haverá uma votação no Parlamento na próxima semana, após a qual Lapid assumirá o poder, segundo o porta-voz de Bennett.

A medida ocorre apenas algumas semanas antes de uma visita planejada do presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, com a qual o governo israelense contava para ajudar a aumentar os laços de segurança regional contra o Irã, inimigo de longa data de Israel.

No entanto, a coalizão de oito partidos de várias ideologias diferentes, incluindo os árabes, enfrentou tensões crescentes à medida que sua pequena maioria foi ficando cada vez menos devido a deserções.

Não foi anunciada uma data para uma eleição parlamentar antecipada, mas a imprensa israelense publicou que deve ser em outubro.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos