Larry Flynt, fundador da revista 'Hustler', morre aos 78 anos, de insuficiência cardíaca

O Globo
·1 minuto de leitura

Fundador da revista "Hustler" e personagem da contracultura americana, Larry Flynt morreu nesta quarta-feira, aos 78 anos, em sua casa em Los Angeles. Segundo o site TMZ, Flynt teria morrido por insuficiência cardíaca pela manhã. A notícia foi confirmada pelo irmão de Larry, Jimmy Flynt, ao jornal "Washington Post".

Controverso, Larry Flynt transformou um panfleto que distribuía para divulgar seu clube de strip-tease, o Hustler Club, em uma revista, que, em 1973, se tornou a "Hustler". Diferentemente de concorrentes como a "Playboy" e "Penthouse", a "Hustler" mostrava sem pudores partes íntimas das estrelas em seus ensaios. Suas capas também traziam críticas ácidas à sociedade americana.

Em1978, um juiz do condado de Gwinnett, na Geórgia, tentou censurar a circulação da revista por conteúdo pornográfico. Flynt levou o caso à Justiça, protagonizando uma verdadeira batalha em nome da Primeira Emenda da Constituição dos EUA , que assegura liberdade de expressão e de imprensa. Em 1996, sua vida foi levada para o cinema, num filme do diretor Milos Forman. O ator Woody Harrelson fez o papel de Larry Flynt.

Ao final, a Justiça autorizou as publicações de conteúdo erótico, mas, na mesma semana em que ganhou a causa, Flynt foi baleado por um supremacista branco, ficando paraplégico. Sua trajetória foi levada para o cinema em 1996 por Milos Forman, diretor de "O povo contra Larry Flynt", que teve o ator Woody Harrelson no papel do editor.