Lasier Martins, candidato ao Senado, critica distribuição de cargos e emendas para favorecer governistas

THIAGO RESENDE E RENATO MACHADO
·1 minuto de leitura

BRASÍLIA, DF (FOLHAPRESS) - Candidato à presidência do Senado, Lasier Martins (Podemos-RS) criticou o uso de recursos públicos para impulsionar a campanha de aliados do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) na corrida pelo comando do Congresso. "O governo vai controlar a pauta do Senado Federal. Alguém tem dúvidas disso?", discursou Martins. O senado Rodrigo Pacheco (DEM-MG), apoiado por Bolsonaro, é favorito na disputa. Martins contestou a distribuição de emendas e cargos públicos a parlamentares alinhados com os candidatos do governo. Na Câmara, o líder do centrão, Arthur Lira (PP-AL), também é o favorito e teve a ajuda de integrantes do governo. O senador, apesar de reconhecer o favoritismo de Pacheco, disse que a interferência do governo gera uma desigualdade na eleição, pois destina dinheiro para uma candidatura e não atua da mesma forma para outras. "A voracidade desses que estão recebendo cargos é uma voracidade ilimitada", declarou Martins.