The Last of Us: golpistas usam nome de série para fraudes bancárias e roubo de dados pessoais

No dia seguinte ao lançamento da série The Last of Us, inspirada na franquia de jogos eletrônicos exclusiva da PlayStation, já foram detectados ao menos dois tipos de golpes virtuais envolvendo a franquia. O nome da produção é o chamariz para armadilhas que visam roubo de dados e fraudes bancárias.

Protagonizada por Pedro Pascal e Bella Ramsey, de Game of Thrones, a nova série da HBO estreou no domingo e tomou as redes sociais desde então: das 21h de ontem até às 00h desta sexta, as buscas por “The Last of Us” no Google cresceram 90%.

Pesquisadores da empresa de cibersegurança Kaspersky encontraram criminosos oferecendo o download do segundo volume do jogo, que está disponível apenas para PlayStation. O lançamento para computador está agendado para março deste ano.

Em uma das modalidades de fraude encontrada, ao tentar baixar o jogo, o internauta na verdade está fazendo o download de um arquivo malicioso que deixa vulnerável tudo que tem arquivado no seu computador, inclusive seus dados pessoais e bancários.

Outro golpe mapeado funciona através de um código de ativação. Na hora de fechar a compra do jogo, o site oferece um arquivo de código de ativação para o usuário ganhar um brinde, como um novo console de videogame ou um cartão presente. Neste momento, dados pessoais e de cartão crédito são solicitados para pagar uma “taxa de comissão”. Essas informações são usadas depois em outros esquemas fraudulentos.

Para Olga Svistunova, especialista em segurança da Kaspersky, os gamers ainda não sabem o suficiente sobre cibersegurança, sobretudo os mais novos:

— O grupo está entre os principais alvos dos cibercriminosos, que devem continuar encontrando cada vez mais novas formas de golpes. É recomendável sempre verificar se o jogo está disponível na plataforma oferecida e comprar apenas das lojas e aplicativos — explicou.

Para evitar ser vítima de programas maliciosos e fraudes, a Kaspersky recomenda: