Latam apresenta nova proposta de financiamento nos Estados Unidos

Ivan Martínez-Vargas

SÃO PAULO — A companhia aérea Latam, que está em recuperação judicial nos Estados Unidos, apresentou nesta quinta-feira uma nova proposta de financiamento DIP (que garante ao credor prioridade no recebimento dos créditos) para levantar US$ 2,45 bilhões.

A primeira proposta, feita pelos principais acionistas da empresa — as famílias Cueto e Amaro e a linha aérea Qatar — e pelo fundo Oaktree foi recusada em 10 de setembro em decisão da Corte de Falências de Nova York.

A oferta rejeitada previa que os controladores, aue aportariam US$ 900 milhões dos US$ 2,45 bilhões previstos, tivessem o direito de converter parte da dívida em participação acionária com um desconto de 20%, o que foi questionado por acionistas minoritários na Justiça.

O juiz James Garrity considerou haver jurisprudência para rejeitar a oferta, que prejudicaria, segundo ele, demais credores e minioritarios.

A nova proposta da Latam prevê agora a participação da Knighthead Capital, uma das credoras que questionava na Justiça as condições do DIP proposto pelos controladores da Latam.

Segundo a Latam, a nova oferta "mantém, em essência, a estrutura original de financiamento DIP", mas responde à objeção do juíz Garrity.

O DIP continuaria dividido em duas partes. A primeira, de levantará até US$ 1,3 bilhão, o Oaktree contribuirá com US$ 1.125 bilhão, enquanto a Knighthead Capital participará com US$ 175 milhões.

Na segunda, cujo valor será de até US$ 1.150 bilhão, os controladores da empresa aportarão US$ 750 milhões (contra US$ 900 previstos inicialmente). A Knighthead Capital entrará com US$ 250 milhões e acionistas minoritários da LATAM, até US$ 150 milhões. Caso esse valor não seja atingido, o diferencial será fornecido pelos outros credores participantes da oferta.