Laudo do IML detalha causa da morte de adolescente atropelado por Krupp

O modelo Bruno Krupp  atropelou e matou o adolescente João Gabriel Cardin Guimarães. de 16 anos. (Foto: Reprodução/Redes Sociais)
O modelo Bruno Krupp atropelou e matou o adolescente João Gabriel Cardin Guimarães. de 16 anos. (Foto: Reprodução/Redes Sociais)

Laudo do IML (Instituto Médico Legal) revela que a causa morte do adolescente atropelado pelo modelo Bruno Krupp no sábado (30) se deu em decorrência de "Traumatismo da pelve e membros inferiores, com consequente hemorragia" .

João Gabriel Cardim Guimarães, de 16 anos, estava atravessando a rua com a mãe em direção ao calçadão, quando foi atropelado pela moto em alta velocidade pilotada por Krupp, que estava sem a carteira de habilitação.

De acordo com o G1, que obteve o documento, a perna esquerda de Guimarães foi amputada no momento do impacto com a moto. Houve ainda esmagamento da estrutura óssea da bacia, fratura do anel pélvico, laceração muscular, lesão na bexiga, escoriações na genitália, hematoma em bolsa escrotal, corpo exangue (sem sangue), entre outras lesões.

A juíza Maria Izabel Pena Pieranti, que deliberou sobre a prisão do modelo, descreveu que mesmo tendo sido parado por três vezes em uma blitz, Krupp dirigia de forma irresponsável.

"Não foi o bastante que tivesse sido parado pelos agentes da Lei Seca. Ser pego na situação já descrita não teve qualquer efeito didático. Ao contrário, adotou conduta mais ainda letal, acabando por tirar a vida de um jovem que estava acompanhado de sua mãe, ressaltando-se que Bruno não é um novato nas sendas do crime", pontuou Pieranti na decisão.

João Gabriel chegou a passar por uma cirurgia no Hospital Municipal Lourenço Jorge, mas não resistiu aos ferimentos. Ele era filho e neto único, e morava em Realengo.

Deboche de blitz

Bruno Krupp ironizou da blitz da Lei Seca na qual foi parado três dias antes de atropelar e matar o adolescente João Gabriel. Em um vídeo publicado em suas redes sociais, Bruno comentou: “Na moral, mano. Eu amo a Lei Seca. Eu amo. Amo. Já é?! Vamos ver qual vai ser o desenrolado da melhor forma, demorou?! Tamu junto... Os dois lados da pista. Vem, amor, vem brincar, vem brincar. Vambora!”

Na ocasião, Bruno se negou a soprar o bafômetro e foi multado por pilotar a moto sem placa nem habilitação.

No momento do acidente, Bruno pilotava em alta velocidade numa via cujo limite é de 60 km/h. Uma testemunha afirmou que ele estava a mais de 150 km/h.

Transferência para presídio

O modelo foi encaminhado para o presídio após contradições entre os laudos do Hospital Marcos Moraes, onde ele estava internado, e o de um médico que foi contratado pela família do modelo. O hospital descreveu que Krupp já tinha condições de ser liberado, entretanto, o médico Bruno Nogueira Teixeira, solicitou que ele fosse cuidado em uma UTI.

Com a discordância, o delegado Aloysio Berardo Falcão de Paula Lopes, adjunto da 16ª DP (Barra da Tijuca), abriu um nova investigação contra Bruno Nogueira Teixeira por falsidade ideológica e fraude processual. Ele deve ser ouvido no início da próxima semana.

Krupp será transferido do Hospital Marcos Morais, no Méier, na Zona Norte do Rio, para a Unidade de Pronto-Atendimento (UPA) da Secretaria de Administração Penitenciária (Seap), localizada dentro do Complexo de Gericinó, em Bangu, na Zona Oeste da cidade.