Lavrov: acusações de ingerência eleitoral russa nos EUA são 'falatório'

Chanceler russo, Sergei Lavrov, na Conferência de Munique, em 17 de fevereiro de 2018

O ministro russo das Relações Exteriores, Serguei Lavrov, classificou como "falatório", neste sábado (17), as acusações de que Moscou interferiu na eleição presidencial americana de 2016, corrida que levou o republicano Donald Trump à Casa Branca.

"Até que vejamos fatos, tudo o mais é falatório", disse Lavrov, na Conferência sobre Segurança realizada na cidade alemã de Munique, um dia depois de a Justiça americana acusar 13 russos por suspeita de ingerência na disputa de 2016.

Lavrov não comentou as acusações, limitando-se a afirmar que as declarações das autoridades americanas são contraditórias.

"Não tenho reação, porque se publica qualquer coisa. Vemos uma multiplicação de acusações, afirmações e declarações", criticou.

O chanceler russo lembrou que o vice-presidente americano, Mike Pence, e uma autoridade do Departamento de Segurança Interna dos EUA garantiram que "nenhum país influenciou o resultado da eleição" nos Estados Unidos.

Em Munique, o conselheiro para Segurança Nacional de Trump, general H.R. McMaster, considerou que "as provas são realmente irrefutáveis" contra a Rússia nesse tema.

"A Rússia deveria reavaliar o que está tramando, porque simplesmente não funciona", alfinetou, apresentando como "prova" que os Partidos Republicano e Democrata estão excepcionalmente unidos na hora de impor sanções a Moscou.