Leandro Bossi: ossada do menino é encontrada 30 anos após desaparecimento

(Foto: Getty Images)
(Foto: Getty Images)

Trinta anos após o desaparecimento de Leandro Bossi, na cidade de Guaratuba, no litoral do Paraná, a Secretaria de Segurança Pública do estado confirmou nesta sexta-feira (10) que a ossada encontrada e analisada corresponde com o material genético do garoto.

De acordo com o portal UOL, o órgão informou que a ossada encontrada tem 99,9% de compatibilidade com o DNA da mãe do menino. As condições e o local no qual a ossada foi achada não foram informados.

“No ano passado, foram enviadas para a Polícia Federal em Brasília oito amostras ósseas que estavam na guarda da Polícia Científica relativas a crianças desaparecidas. Da mesma forma, também foi coletado o material genético de três mães, dentre elas, a mãe de Leandro Bossi", disse o secretário de Segurança Pública do Paraná, Wagner Mesquita.

"Agora tivemos resultado positivo, fazendo o confronto de uma das amostras, indicou a compatibilidade do material genético para a ossada de Leandro Bossi”, acrescentou.

O menino Leandro Bossi sumiu há 30 anos, em 15 de fevereiro de 1992, quando tinha sete anos, durante um show em Guaratuba, mas o inquérito policial sobre o desaparecimento nunca tinha sido concluído. Naquele mesmo ano, em 6 de abril, Evandro Caetano, de 6 anos, também desapareceu no mesmo município.

Ainda de acordo com o portal UOL, hoje, o Banco Genético do país tem cerca de cinco mil restos mortais não identificados, e cerca de seis mil pessoas já forneceram amostras de DNA para a identificação de possíveis familiares.

Já no Paraná, de acordo com o governo estadual, cerca de 900 casos de desaparecimento de crianças foram registrados nos últimos quatro anos —26 seguem desaparecidas.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos