Leandro Vieira se reúne com direção da Mangueira para selar renovação com a escola

Leandro duranate o desfile da Mangueira desse ano

O carnavalesco Leandro Vieira se reúne ainda na manhã desta quarta-feira com a direção da Mangueira para selar sua renovação com a agremiação para o carnaval de 2021, conforme antecipou o colunista Ancelmo Gois, de O GLOBO. Esse ano, o carnavalesco se desdobrou entre duas escolas: a verde e rosa, que ficou em 6º lugar e voltou no Desfile das Campeãs, e a Imperatriz Leopoldinense, que se sagrou campeã na Série A e no ano que vem volta à elite do carnaval carioca.

Leandro já havia dado pistas de que permaneceria na Mangueira ao publicar na última segunda-feira nas suas redes sociais uma carta de despedida da escola de Ramos. A Imperatriz levou para a Avenida enredo “Só dá Lalá”, uma homenagem ao compositor Lamartine Babo, que tinha dado à escola seu primeiro bicampeonato, em 1981.

“Toda trajetória é também um ciclo. Essa coisa de fechar ciclos é um entendimento fundamental para toda caminhada. Um ciclo que se fecha é também a abertura para o ciclo que se abre. Em 2014, eu era um assistente na Imperatriz Leopoldinense. Ali, de alguma forma, um ciclo foi aberto, ao mesmo tempo em que também as circunstâncias da vida interromperam outro. Desse ciclo interrompido, abriu-se o ciclo que levou o Leandro até Pilares e a seguir, até à Estação Primeira. Ciclo aberto também é ciclo em movimento. E o movimento é o que deixa a trajetória de todos nós em ebulição, viva e contínua”, postou na ocasião.

Na Mangueira, Leandro Vieira desenvolveu o enredo “A verdade vos fará livre” sobre as diversas faces de Cristo. Revelado na Caprichosos de Pilares, em 2015, o carnavalesco está na verde e rosa há cinco anos. Neste período deu dois campeonatos à escola: o primeiro em 2016, com o enredo “Maria Bethânia: a menina dos olhos de Oyá” e o segundo em 2019, com História pra ninar gente grande”.