Lech Walesa indica opositor russo Alexei Navalny para o Nobel da Paz

·1 minuto de leitura
o ex-presidente polaco e ganhador do Nobel da Paz Lech Walesa, durante uma entrevista em 3 de fevereiro de 2021

O ícone polonês da liberdade, Lech Walesa, indicou o oponente russo Alexei Navalny para o Prêmio Nobel da Paz nesta quinta-feira (4), elogiando seu trabalho para denunciar a corrupção e defender o pluralismo político.

Walesa, de 77 anos, recebeu o prêmio em 1983 por sua liderança no sindicato Solidariedade, que facilitou uma transição pacífica na Polônia após o comunismo. Mais tarde, ele se tornou o primeiro presidente eleito democraticamente após a guerra.

Seu secretário, Marek Kaczmar, contou à AFP que Walesa indicou Navalny para a distinção em uma carta que enviou ao Comitê do Nobel nesta quinta-feira, dias depois que o principal detrator do presidente russo foi condenado a quase três anos de prisão, o que levou seus partidários a organizar grandes protestos no país.

Navalny foi condenado por violar os termos de uma sentença que remonta a 2014 sob a acusação de sonegação, embora argumente que foi preso como forma de silenciá-lo.

Em entrevista à AFP, Walesa chamou Navalny de "herói" e afirmou que se pudesse falar com ele, lhe diria para seguir seu exemplo durante a época comunista e lutar contra o sistema.

"Senti que não eram as pessoas a serem acusadas, mas o sistema, por permitir que os líderes se comportassem tão mal. E isso é algo que podemos ver na Rússia", contou Walesa.

Walesa argumentou que Navalny estava lutando contra o totalitarismo em nome dos ideais democráticos, dos Direitos Humanos básicos e da liberdade, além do Estado de Direito, de acordo com trechos da carta citada pelo jornal Gazeta Wyborcza.

amj/dt/har/jvb/mb/bn