Leia as entrevistas do GLOBO com os pré-candidatos ao governo do Rio, SP e MG

A três meses do início oficial da campanha eleitoral, o GLOBO publica uma série de entrevistas com os pré-candidatos aos governos dos estados do Rio de Janeiro, de São Paulo e de Minas Gerais. As entrevistas abrem espaço para o debate de solução de problemas dos três maiores estados do país, mas também para a confrontação política entre os adversários e para novas informações sobre alianças e formação de chapas ainda em curso.

Esta semana é a vez dos pré-candidatos de Minas. A série de entrevistas do GLOBO começou com os pré-candidatos do Rio.

Fique por dentro do que os pré-candidatos pensam nas entrevistas exclusivas para assinantes.

RIO DE JANEIRO

Cláudio Castro (PL)

'Sou Bolsonaro mas não vou criticar Lula'

Candidato à reeleição, o governador Cláudio Castro (PL) afirma que não quer nacionalizar a disputa. Correligionário do presidente Jair Bolsonaro, ele tem evitado criticar o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) e sinaliza para eleitores de esquerda. No cenário local, porém, alfineta seu principal adversário até agora, segundo as pesquisas: 'Estou do lado da polícia, nunca dos bandidos. Isso eu deixo para o Marcelo Freixo'. Castro é o primeiro entrevistado da série com pré-candidatos aos governos de Rio, São Paulo e Minas Gerais. (Leia mais)

Marcelo Freixo (PSB)

''Ir à igreja não é pecado e esquerda se distanciou dos evangélicos'

Segundo colocado nas pesquisas para o governo do Rio, o deputado federal Marcelo Freixo (PSB) diz que não é artificial sua aproximação com igrejas e economistas liberais, afirma que seria melhor PT e PSB terem apenas um candidato ao Senado e alfineta o governador Cláudio Castro. "É mais um Sérgio Cabral. Anda de helicóptero e faz festa que só falta o guardanapo". (Leia mais)

Rodrigo Neves (PDT)

'Apoio Ciro, mas discordo dos ataques ao Lula'

Pré-candidato do PDT ao governo do Rio, o ex-prefeito de Niterói Rodrigo Neves minimiza a ausência de um arco de aliança para apoiá-lo, diz não compactuar com ofensas de Ciro Gomes a Lula e mira críticas tanto em Cláudio Castro (‘homem da mala do pastor Everaldo’) quanto em Marcelo Freixo (‘você entregaria um carro a quem nunca dirigiu?’). (Leia mais)

Felipe Santa Cruz (PSD)

‘Posso ir de Lula, Ciro, Doria ou Simone Tebet’

Pré-candidato ao governo do Rio de Janeiro pelo PSD, Felipe Santa Cruz, ex-presidente da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), minimiza sua falta de experiência administrativa e não ataca adversários nem se compromete com um candidato ao Planalto. A despeito da baixa aprovação do atual prefeito da capital, Eduardo Paes, a quem tenta associar sua imagem, Santa Cruz é otimista e diz que há “um espaço enorme para crescimento”. (Leia Mais)

Paulo Ganime (Novo)

‘Bolsonaro não é santo, mas minha rejeição maior é ao Lula’

Candidato do Novo ao governo do Rio, o deputado federal Paulo Ganime reconhece que seu partido tem pouca penetração popular, não vê problemas em votações da legenda alinhadas ao governo federal e dá pistas do que faria em um segundo turno na disputa presidencial entre PL e PT. (Leia Mais)

Eduardo Serra (PCB)

‘Minha candidatura é necessária porque outras forças de esquerda viraram liberais’

Nome do PCB para o pleito estadual de 2022, Eduardo Serra defende que o Rio não pague suas dívidas à União. Segundo ele, sua candidatura preenche o vácuo de uma campanha sem programas “claramente de esquerda”. “Quero técnicos competentes, mas com a política de esquerda na cabeça”, diz. (Leia Mais)

Cyro Garcia (PSTU)

'Temos que reestatizar a SuperVia, o metrô, as barcas e criar uma empresa de transporte público'

O pré-candidato do PSTU ao governo do Rio, Cyro Garcia, acredita que a guinada ao centro do candidato do PSB, Marcelo Freixo, e a ausência do PSOL abrem espaço para a sua candidatura. Neste momento, a sua prioridade é derrotar o atual governador Cláudio Castro. “Por mais que ele tente se desvincular de Bolsonaro, ele é um bolsonarista.” (Leia Mais)

Emir Larangeira (PMB)

‘Para fazer a recuperação fiscal, a primeira coisa que a gente tem que fazer é aprender a poupar antes de gastar’

Pré-candidato do PMB ao governo do Rio, o coronel reformado da Polícia Militar, Emir Larangeira, foi citado nas chacinas de Vigário Geral e Acari. Em entrevista ao GLOBO, ele critica o desempenho de policiais na política, encara como "natural" a politização da corporação e propõe "poupar, antes de gastar". (Leia Mais)

Anthony Garotinho (UB)

'Partido é fantasia de carnaval, você usa e descarta'

Lançado pré-candidato depois de uma conversa conflituosa com o governador Cláudio Castro, a quem agora chama de "novo Cabral", Anthony Garotinho (UB) nega que esteja em busca de cargos. Ele reconhece que o União Brasil não é o partido com o qual mais se identifica e ressalta a proximidade com Bolsonaro 'na questão dos princípios, como o aborto'. (Leia Mais)

SÃO PAULO

Fernando Haddad (PT)

'Será que vai permanecer fiel à candidatura dele (França) assim que souber que ele está apoiando o Lula

O ex-prefeito de São Paulo Fernando Haddad admite haver 'um pouco de euforia' no PT por liderar pesquisas presidenciais. Em SP, atribui a má avaliação de sua gestão e a sua rejeição a problemas de comunicação e ao antipetismo. Em entrevista ao GLOBO, o petista também diz que Márcio França perderá intenção de votos no decorrer da campanha. (Leia mais)

Mácio França (PSB)

'Lula não pode carregar todo mundo'

O ex-governador Márcio França (PSB) afirma que a candidatura de Haddad é um peso que limita Lula em SP. Segundo ele, o PT deveria usar o exemplo da aliança com Geraldo Alckmin (PSB) para abrir mão de lançar o ex-prefeito. França critica a esquerda por fazer ‘lacração’ em temas como câmeras na farda de policiais e diz que não vai ‘desrespeitar’ Bolsonaro. (Leia mais)

Tarcísio de Freitas (PL)

'O governo Doria foi um desastre'

O ex-ministro da Infraestrutura Tarcísio de Freitas diz confiar nas urnas e que o presidente Jair Bolsonaro (PL), seu aliado político, respeitará o resultado das eleições por ser ‘um democrata’. Filiado ao Republicanos, Tarcísio refuta associação com o Centrão e avalia gestão do ex-governador João Doria (PSDB) como ‘desastre’. Bolsonarista, ele aposta na reprodução em São Paulo da polarização nacional e afirma ser capaz de atrair eleitores de centro. (Leia mais)

Rodrigo Garcia (PSDB)

'Ninguém disputa por mim’

Ex-vice de Doria, governador de São Paulo procura se dissociar do antecessor, que deixou a gestão com rejeição em alta, e aposta em se apresentar como a ‘terceira via’ da disputa para escapar dos reflexos da polarização nacional. Classificando-se como ‘de centro’, ele defende frase sobre bandidos ‘levarem bala’. (Leia mais)

Felício Ramuth (PSD)

‘Não estou ligado a Lula, Bolsonaro ou Doria’

Pré-candidato ao governo de São Paulo pelo PSD, Felício Ramuth integrou a base da gestão tucana no estado, mas agora pertence à oposição. Ex-prefeito de São José dos Campos, ele admite ter de superar o desconhecimento e rejeita a ligação tanto aos dois presidenciáveis melhor colocados nas pesquisa de intenção de voto, Luiz Inácio Lula da Silva (PT) e Jair Bolsonaro (PL), quanto ao ex-governador paulista João Doria (PSDB). (Leia mais)

Vinícius Poit (Novo)

'Essa narrativa de que o partido é bolsonarista é de uma minoria barulhenta'

Pré-candidato do Novo ao governo paulista, deputado federal Vinícius Poit refuta que exista tendência governista em seu partido e faz críticas a Bolsonaro, mas afirma que ‘inimigo’ é o PT. De viés liberal, ele prega a privatização da Sabesp e acredita que o PSDB inchou a máquina pública. (Leia mais)

Elvis Cezar (PDT)

'Não acredito na polarização em São Paulo'

Eleitor de Jair Bolsonaro em 2018 e agora pré-candidato a governador pelo PDT, o ex-prefeito de Santana de Parnaíba afirma que adversários na disputa não conseguirão igualar votos de seus padrinhos presidenciáveis. Ele avalia que a gestão Doria/Garcia no estado não sabe investir os recursos públicos e vê ‘excesso de arrecadação’. (Leia mais)

Abraham Weintraub (PMB)

'Bolsonaro não vai se reeleger porque economia vai piorar'

Nome do PMB ao governo de São Paulo, o ex-ministro da Educação Abraham Weintraub ainda mora nos Estados Unidos. Em entrevista ao GLOBO, ele vê vista grossa do Planalto para corrupção e propõe cercar bairros contra violência. (Leia mais)

Gabriel Colombo (PCB)

'Precisamos de alternativa. Haddad e Márcio França não são de esquerda'

Pré-candidato do PCB ao governo de São Paulo, Gabriel Colombo diz que o ex-prefeito Fernando Haddad (PT) e o ex-governador Márcio França (PSB) não representam a esquerda. Em entrevista ao GLOBO, ele afirma que quer estatizar todos os serviços públicos. (Leia mais)

Altino de Melo (PSTU)

'Se o Lula conseguisse o Doria para uma aliança, ele faria'

Pré-candidato ao governo paulista pelo PSTU, Altino de Melo afirma que petistas se aliaram com a direita ao fazer Alckmin vice de Lula e defende tarifa zero no metrô paulista. Em entrevista ao GLOBO, ele reconhece que "não tem chance de ganhar", mas defende a apresentação de um "um projeto de fato socialista". (Leia mais)

Minas Gerais

Alexandre Kalil (PSD)

'Não me venha com esse negócio de esquerda e direita'

Ex-prefeito de Belo Horizonte, Alexandre Kalil (PSD) afirma que firmou a aliança eleitoral com o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) por ‘ter lado’, mas evita se associar à disputa ideológica. Rompido com a bancada federal do PSD, o pré-candidato ao governo de Minas diz que os deputados de seu partido só querem cargos, não têm 'a menor importância' e que sequer sabe o nome de todos. (Leia mais)

Próximos entrevistados:

Romeu Zema (Novo)

Lorena Figueiredo (PSOL)

Marcus Pestana (PSDB)

Carlos Viana (PL)

Renata Regina (PCB)

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos