Leilão do 5G precisa ser 'técnico' e sem 'ideologia', diz Luís Roberto Barroso

Daniel Gullino
·1 minuto de leitura
Jorge William/ Agência O Globo
Jorge William/ Agência O Globo

VALPARAÍSO (GO) — O ministro Luís Roberto Barroso, do Supremo Tribunal Federal (STF), afirmou neste domingo que o leilão do 5G precisa ser "verdadeiramente técnico", porque "ciência e ideologia não são uma boa mistura". O governo brasileiro é pressionado pelos Estados Unidos para excluir a empresa chinesa Huawei do leilão, que deverá ser realizado em 2021.

Barrosso, que também é presidente do Tribunal Superio Eleitoral (TSE), fez a declaração enquanto falava sobre a importância da universalização do acesso à internet, durante evento em Valparaíso (GO) para conhecer propostas de alternativas à urna eletrônica.

Viu isso? Huawei prepara ofensiva na Justiça, diante de ameaça de ser excluída do 5G no Brasil

— Precisamos univeralizar, e com qualidade, o acesso à internet. Vem aí o 5G e eu tenho a firme esperança que se façam escolhas verdadeiramente técnicas e as melhores para a população brasileira. Ciência e ideologia não são uma boa mistura — disse o ministro, durante entrevista coletiva.

Na terça-feira, o governo brasileiro anunciou o apoio à chamada Clean Network (Rede Limpa), programa dos EUA que, na prática, limita o avanço de empresas chinesas na instalação da tecnologia 5G. A adesão à iniciativa foi feita no âmbito de uma parceria trilateral entre Brasil, EUA e Japão.