Leilão de aeroportos deve atrair ao menos sete grupos, com investimento de R$ 6 bi

Ivan Martínez-Vargas e Manoel Ventura
·1 minuto de leitura

SÃO PAULO BRASÍLIA - Mesmo em meio à maior crise do setor aeroportuário no mundo, a sexta rodada de concessão de aeroportos, que será realizada nesta quarta-feira, deve atrair ao menos sete investidores.

São grandes grupos que já administram aeroportos no Brasil — caso de Aena, Vinci, CCR, Inframérica e Socicam — e interessados em entrar na área, como a gestora de fundos Pátria e a operadora francesa ADP.

Serão 22 aeroportos, entre eles os de Curitiba e Manaus, divididos em três blocos e que atrairão R$ 6 bilhões em investimentos. O leilão será um teste para avaliar o impacto que o agravamento da pandemia e as turbulências políticas do governo Jair Bolsonaro podem ter nas concessões previstas para 2021.

Leila os detalhes na reportagem completa exclusiva para assinantes do GLOBO.