Leila Pereira nega ter recebido propostas por Endrick

Presidente do Palmeiras, Leila Pereira confirmou que clube está tranquilo em relação ao interesse estrangeiro.
Presidente do Palmeiras, Leila Pereira confirmou que clube está tranquilo em relação ao interesse estrangeiro. Foto: (Heuler Andrey/Getty Images)

Depois de ter marcado o seu primeiro gol pelo time profissional do Palmeiras, na vitória por 3 a 1 contra o Athletico Paranaense em plena Arena da Baixada, o atacante Endrick, que além de ser desejo do Paris Saint-Germain e do Barcelona, agora também atrai olhares de outro gigante europeu, o Real Madrid, virou pauta em uma entrevista concedida pela presidente do clube paulista, Leila Pereira.

Quando marcou presença no sorteio dos grupos da fase inicial para o Campeonato Paulista de 2023, a mandatária do alviverde afirmou que o clube ainda não recebeu propostas oficiais pelo prodígio: "O Endrick precisa ficar conosco até os 18 anos, então lido com muita tranquilidade, é claro que nós queremos sempre o melhor para o Palmeiras e para o atleta. Por enquanto não tem nenhuma proposta, nada formal. Vejo muitos de vocês comentando, mas eu sou presidente do Palmeiras e não fui procurada ainda. Lido com muita tranquilidade, porque isso é um resultado de um trabalho fantástico que tem feito a nossa base, não só com o Endrick, mas temos vários meninos extremamente talentosos".

Leia também:

Palmeiras evita que Real e Barcelona comprem Endrick

A razão é uma só: tributos impostos pela Receita da Espanha, que cobra uma taxa de 15% do valor das transferências de jogadores oriundos do Brasil. A Espanha é o único país que, já há alguns anos, cobra este 'pedágio' referente às negociações de futebol.

Por exemplo, caso Real Madrid ou Barcelona ofereçam 50 milhões de euros para o Palmeiras, cerca de R$ 259,6 milhões na cotação atual, a Receita iria pegar 7,5 milhões de euros, aproximadamente R$ 39 milhões.