Lenços brancos no Rio fazem homenagem aos 600 mil mortos da Covid

·1 minuto de leitura

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - Um trecho da praia de Copacabana, no Rio, foi tomado na manhã desta sexta-feira (8) por lenços brancos pendurados em varais, ao lado de algumas bandeiras do Brasil.

A instalação, em frente ao Copacabana Palace, foi uma homenagem da ONG Rio de Paz aos 600 mil brasileiros mortos pela Covid-19 no Brasil, marca atingida nesta sexta.

O lenço branco foi escolhido por ser um símbolo do adeus, do aceno à distância e usado para enxugar as lágrimas.

"A manifestação também é em repúdio ao modo como o governo federal e parte da sociedade vem tratando a pandemia desde o início da crise sanitária", diz a ONG.

Além dos lenços, quatro faixas foram distribuídas pela instalação. Uma delas perguntou quem sãos os responsáveis pela tragédia das mortes. As outras trouxeram as palavras incompetência, irresponsabilidade e insensibilidade.

Após a manifestação, os lenços serão entregues ao taxista Marcio Antonio, que perdeu o filho para a Covid e ficou conhecido ao recolocar cruzes na areia de Copacabana durante um dos protestos da ONG. As cruzes haviam sido retiradas por um homem contrário ao ato.

O taxista, segundo a Rio de Paz, vai levar o material para Brasília no dia 19 de outubro, data prevista para a leitura do relatório da CPI da Covid. Os lenços serão entregues à CPI.

"Se queremos tirar alguma lição dessa espantosa perda de vidas a fim de que sofrimento como esse não se repita no nosso país, precisamos responder a uma pergunta central: quem são os responsáveis por esta tragédia?", pergunta o presidente da ONG, Antonio Carlos Costa.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos