Lentes de contato inteligentes estão chegando — e podem mudar tudo

Claudio Yuge

Imagine você poder usar pequenas lentes de contato que funcionam como displays inteligentes, garantindo visão noturna e interface para as mais diversas tarefas, incluindo checagem de notificações e interações com realidade aumentada (RA). Parece coisa de filme de ficção científica, né? Mas a verdade é que isso está muito próximo de se tornar realidade nos próximos anos — e promete mudar tudo, tanto na tecnologia, como em nosso comportamento e na maneira que usamos gadgets.

A responsável por trás dessa seara é a Mojo Vision, que vem trabalhando nos últimos cinco anos no que promete ser o microdisplay com maior densidade do mundo: são apenas 0,48 mm de tamanho, com pixels de mais de 14 mil ppi. Isso deve ser alimentado por uma pequenina bateria, com autonomia de um dia inteiro e que pode ser recarregada em um estojo compacto.

Imagem: Reprodução/Mojo Vision

Com um dispositivo como esse, você poderia interagir com o mundo e com outras ações de forma ininterrupta, acessando agenda, mensagens, alertas, listas e instruções, entre outras informações. A Mojo Vision diz que seu software é capaz de compreender e descobrir contextos, para que seu painel não fique poluído com dados desnecessários. Isso chama-se “Computação Invisível”, uma maneira de "permanecer conectado com o mundo, os arredores e as comunicações, tudo sem a distração de um dispositivo".

Companhia ainda precisa vencer alguns desafios

Essas possibilidade são promissoras, mas antes de colocar o produto no mercado para o consumidor final, é necessário superar algumas atuais limitações. Isso porque é muito difícil encaixar tudo o que você tem atualmente em uma tela de smartphone, por exemplo, em um aparelho tão pequeno, com capacidade de realizar rastreamento ocular.

A Mojo Vision, atualmente, vem realizando seus testes com um headset de realidade virtual, em vez de uma lente de contato real. Além disso, ao contrário de conjuntos como o Google Glass, esse é um produto que necessita de aprovação da Food and Drug Administration (FDA), agência norte-americana que regula o mercado relacionado à saúde e alimentação. É preciso levar em consideração requisitos regulamentares que controlam dispositivos médicos.

Imagem: Reprodução/Mojo Vision

Vale destacar que, além de um smart display minúsculo, a intenção da Mojo Vision é, primordialmente, melhorar a visão das pessoas com limitações: seria possível não somente corrigir sua miopia, como também oferecer melhor visibilidade à noite e em outras condições. Coisa de filme.

Primeiras versões só devem estar prontas daqui alguns anos

Ainda há algumas temporadas pela frente até que essa lente de contato inteligente se torne uma realidade. A companhia afirma que, no momento, vem recebendo investimento de grupos como HP Tech Ventures, LG e Motorola Solutions, entre outros. O próximo passo é adequar as primeiras versões para análise médica — vale destacar que o produto não deve sair barato, portanto é preciso considerar cobertura de seguros de saúde, entre outros detalhes.

Imagem: Reprodução/Mojo Vision

E também há o fato de que a versão sem correção de deficiências na visão precisa ter um atrativo, como, por exemplo, apps de realidade virtual, assim como serviços específicos — como enxergar informações de constelações em seu próprio micropainel. Ou seja, dá para sonhar, mas ainda vai demorar um pouco para que tenhamos esses novos “olhos biônicos”.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech: